Sufocante

Calor extremo de até 54°C atinge países do hemisfério Norte; veja quais

Se você tem viagem programada para a região do Vale da Morte, na Califórnia, melhor desmarcar. Local promete ter temperatura de 54ºC neste domingo

Por Agências
Publicado em 16 de julho de 2023 | 11:20
 
 
 

Dezenas de milhões de pessoas enfrentavam neste domingo (16) uma onda de calor extremo em vários países do hemisfério norte, com previsões de temperaturas recordes nos Estados Unidos, Europa e na Ásia, em mais uma demonstração das consequências da mudança climática.

Na Europa, onde o aquecimento avança duas vezes mais rápido que a média mundial, segundo os cientistas, vários países enfrentam temperaturas extremas.

"Eu realmente passo mal com o calor. Comprei um mini-ventilador, um guarda-chuva e garrafas de água", declarou à AFP Lilu da Costa Rosa, uma brasileira de 48 anos que visita Roma, onde o termômetro registrava 34ºC às 13H30 (8H30 de Brasília).

Na Itália, 16 cidades estão em alerta vermelho neste domingo, com máximas de 36 e 37 graus centígrados. Apesar do calor, quase 15.000 peregrinos e turistas, segundo o Vaticano, compareceram à Praça de São Pedro para ouvir o papa Francisco recitar a bênção do Angelus.

Entre os visitantes estava François Mbemba, um padre congolês de 29 anos. Ele disse que em Roma "faz mais calor que na África".

"O calor continua durante a noite e é difícil dormir. E como estamos vestidos de preto, suamos como se estivéssemos no inferno".

Onda de calor na Espanha

A Espanha estava à beira de iniciar uma nova onda de calor neste domingo, depois de superar uma semana de temperaturas elevadas, com graves consequência na ilha de La Palma (Canárias), onde um incêndio queimou 5.000 hectares no fim de semana e obrigou 4.000 moradores a deixar a região.

A ilha sofreu as consequências devastadoras da erupção de um vulcão no fim de 2021.

"Sinto impotência ao ver como tudo queima, ao ver duas cidades completamente evacuadas, saber que há pessoas que perderam tudo para o vulcão e reconstruíram suas vidas no norte, mas agora novamente tiveram que abandonar suas casas e correm o risco de voltar a perder tudo", disse à AFP Patricia Sánchez, 37 anos, funcionária da Cruz Vermelha espanhola.

A agência meteorológica espanhola (Aemet) emitiu alertas laranja neste domingo para temperaturas elevadas (38 a 42ºC) em vários pontos da Península Ibérica e nas ilhas Baleares na segunda-feira, além de um alerta vermelho (perigo extremo) também na segunda-feira para áreas da Andaluzia e na terça-feira em Aragón, Catalunha e Mallorca (42 a 44 ºC).

Na Grécia, onde a previsão indica uma leve queda na temperatura, as autoridades decidiram que a Acrópole de Atenas permanecerá fechada das 13h00 às 17h00, e não das 11h30 às 17h30, como havia sido anunciado no sábado.    

Incêndios na Califórnia

Nos Estados Unidos, o Serviço Meteorológico Nacional (NWS) prevê uma onda de calor "extremamente perigosa" da Califórnia ao Texas.

"Quando bebo apenas água, eu fico tonto, quero vomitar por causa do calor, preciso de outra coisa, uma Coca-Cola, um Gatorade, e gelado, para conseguir ficar bem", declarou à AFP um mexicano de 28 anos, que se identificou apenas como Juan, que trabalha no setor da construção em Houston, Texas.

Na região do Vale da Morte, na Califórnia, a temperatura atingiu 51°C no sábado. A previsão para domingo é de 54 graus.

Além das temperaturas elevadas, o sul da Califórnia é cenário de incêndios que já destruíram mais de 1.200 hectares.

No Canadá, mais de 10 milhões de hectares foram destruídos por incêndios desde o início do ano, um balanço muito superior ao registrado pelo país em 2022. Os dados, considerados provisórios, registravam mais de 900 focos ativos no sábado em todo o país, incluindo 570 fora de controle, de acordo com o Centro Interagências Canadense de Incêndios Florestais (CIFFC, na sigla em inglês).

Chuvas na Ásia

Na Ásia, as tempestades se unem ao calor extremo.

Na Coreia do Sul, as equipes de emergência tentavam alcançar as pessoas bloqueadas em um túnel inundado. As fortes chuvas nos últimos dias deixaram pelo menos 37 mortos e nove desaparecidos no país.

O país enfrenta o pior momento da temporada de monções de verão, com mais chuvas previstas até quarta-feira.

No Japão, as autoridades emitiram um alerta para o risco de insolação em 20 dos 47 municípios do país devido a temperaturas próximas de 40 graus em muitas cidades.

Em Tóquio, onde a temperatura chegou a 36ºC, "o simples fato de passear cansa", comentou Coline Grison, uma turista francesa de 24 anos.

"Como está calor, temos que nos acostumar com a ideia de ficar dentro de casa o máximo possível", disse Anthony Fernández, um turista do Texas. "Parece que cada vez que visitamos um lugar, ou há uma onda de calor ou um desastre natural", acrescentou.

Ao mesmo tempo que o calor extremo afeta o leste e sudoeste do arquipélago, outras áreas do país enfrentam chuvas torrenciais, que provocaram pelo menos oito mortes nos últimos dias.

A China emitiu vários alertas para temperaturas elevadas e informou que os termômetros podem atingir 45 graus na região Xinjiang, parcialmente desértica, e 39ºC na região de Guangxi (sul). 

O calor é um dos eventos meteorológicos mais letais, recordou recentemente a Organização Meteorológica Mundial (OMM).

No verão do ano passado, mais de 60.000 pessoas morreram em consequência do calor apenas na Europa, indicou um estudo recente. (AFP)

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!