ESVAZIANDO

Canais de Veneza secam enquanto Itália enfrenta novo alerta de estiagem

Alguns dos menores canais da cidade praticamente secaram devido ao período prolongado de marés baixas

Por Agências
Publicado em 21 de fevereiro de 2023 | 21:37
 
 
 
normal

As semanas de inverno seco levaram preocupação aos moradores da Itália de que o país viva uma nova estiagem, como ocorreu no verão passado. Veneza, onde geralmente as notícias desta época tratam das inundações, agora enfrenta marés baixas que impossibilitam a navegação das tradicionais gôndolas.

Alguns dos menores canais da cidade praticamente secaram devido ao período prolongado de marés baixas, frustrando as tripulações dos barcos e desconcertando os turistas. Os problemas são resultados de uma combinação de fatores: falta de chuva, sistema de alta pressão, lua cheia e correntes marítimas.

Uma vez que os canais servem essencialmente como ruas em Veneza, o fenômeno dos últimos dias aumentou os desafios da vida cotidiana na cidade. Em alguns casos, os barcos-ambulância tiveram que ancorar mais longe de seu destino, forçando as equipes médicas às vezes a carregarem macas por longas distâncias, já que suas embarcações não podem avançar pelos canais reduzidos a um fio de água e lama.

Para os turistas, isso significa que as gôndolas não podem navegar por algumas hidrovias secundárias que correm sob as muitas pontes pitorescas de Veneza.

No meio do inverno, a alta pressão atmosférica combinada com o ciclo lunar produz os níveis de água ultrabaixos, explica Jane Da Mosto, cientista ambiental e analista de desenvolvimento sustentável da "We Are Here Venice", um grupo de defesa ambiental. Ela acrescentou que o fenômeno destaca a falta de atenção à necessidade de limpeza em atraso na rede de canais internos de Veneza.

A navegação continua nas vias navegáveis principais e mais amplas, incluindo os canais Grand e Giudecca.

Problema geral

Separadamente, o mesmo sistema de alta pressão agravado pelo escasso derretimento da neve alpina este ano tem sido um fator para o encolhimento de lagos e rios no norte da Itália nas últimas semanas. Este mês, um istmo ligando as margens do Lago de Garda a uma pequena ilha ressurgiu, encantando os visitantes que puderam, de fato, caminhar pelo meio do lago.

Os rios e lagos da Itália sofrem com a grave falta de água, informou à agência Reuters o grupo ambiental Legambiente, com a atenção voltada para o norte do país. O rio mais longo da Itália, o Pó, tem 61% menos água do que o normal para a época do ano.

Em julho, a Itália declarou estado de emergência para as áreas ao redor do Pó, que responde por cerca de um terço da produção agrícola do país, e sofreu sua pior seca em 70 anos. (Com informações de Estadão Conteúdo)

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!