Clima

Chegada de onda de calor a Nova York é questão de vida ou morte, diz prefeito

Serviço Nacional de Meteorologia emitiu alerta de calor extremo para a cidade, onde a temperatura pode passar dos 41°C até sábado

Por Agências
Publicado em 28 de julho de 2023 | 17:00
 
 
 
normal

 A chegada de uma onda de calor no leste dos Estados Unidos nesta quinta (27) pode fazer Nova York passar dos 41°C até sábado. As altas temperaturas, registradas em diversas outras partes do mundo nas últimas semanas, fizeram o Serviço Nacional de Meteorologia emitir, pela primeira vez em dois anos, um alerta de calor extremo para a cidade até a noite de sexta (28) e mobilizaram autoridades.

"O calor mata mais nova-iorquinos todos os anos do que qualquer outro tipo de evento climático extremo. O acesso a locais para se refrescar é questão de vida ou morte", disse o prefeito de Nova York, Eric Adams, em entrevista coletiva.

O democrata disse que 500 desses centros de resfriamento estarão abertos nos próximos dias, o que inclui piscinas públicas, bebedouros, chafarizes, parques com sombra e bibliotecas.

Pessoas sem ar-condicionado em casa foram especialmente incentivadas a permanecer em um desses locais, que estão reunidos em um mapa, nas horas mais quentes do dia.

Até sábado, piscinas públicas ficarão abertas até as 20h, uma hora a mais em relação ao horário de fechamento em dias comuns.

A preocupação se estende até mesmo aos animais. "Lembre-se de dar bastante água para seus animais de estimação beberem. Não queremos que nenhum companheiro sofra", afirmou o prefeito, que incentivou os moradores a levarem os pets a locais com ar-condicionado.

O calor extremo é a principal causa de mortes relacionadas ao clima nos EUA, de acordo com o Bureau of Labor Statistics. Segundo o órgão, 436 trabalhadores morreram devido ao clima desde 2011. "O calor é o mais mortal de todos os eventos climáticos extremos", disse o comissário de saúde, Ashwin Vasan.

Os nova-iorquinos não serão os únicos a sofrer com essa onda de calor. Cerca de 180 milhões de americanos - mais da metade da população dos EUA - estão sob alerta e poderão enfrentar temperaturas bem acima dos 37°C neste fim de semana.

"Ninguém mais pode negar os impactos da mudança climática", disse o presidente americano, Joe Biden, durante um encontro com os prefeitos de Phoenix, no Arizona, e San Antonio, no Texas, para falar sobre os efeitos do calor no sul do país.

"Mesmo aqueles que negam que estamos no meio de uma crise climática não podem negar o impacto que o calor extremo tem nos americanos", disse o democrata. Phoenix chegou nesta quinta ao 28º dia consecutivo de temperaturas acima de 43,3°C.

Na Filadélfia, além de abrirem centros de resfriamento, as autoridades criaram uma linha telefônica de ajuda para idosos. A maior cidade do estado da Pensilvânia está em emergência de calor até sábado.

A prefeita de Washington, por sua vez, deu dicas nas redes sociais para passar pelos dias de calor e compartilhou um número para pedir gratuitamente transporte para um centro de resfriamento.

"Os próximos quatro dias serão extremamente quentes - cuidem de si mesmos e das pessoas ao seu redor", afirmou Muriel Bowser. Espera-se que a sensação térmica na capital do país chegue a 41,7°C.

Junho de 2023 foi o mês mais quente já registrado nos EUA em uma série histórica que data de 1850. Foi também o 532º mês consecutivo com temperaturas acima da média do século 20.

Calor também na Europa

Outras regiões do globo também sofrem com o calor. A Grécia retirou milhares de pessoas de duas ilhas turísticas no começo da semana devido aos incêndios florestais causados pelas altas temperaturas.

Na Itália, ao menos cinco pessoas morreram devido às tempestades no norte e aos incêndios na Sicília. Também houve incêndios em Portugal, na orla do Atlântico e nos arredores de Cascais, popular destino de férias a noroeste de Lisboa, onde centenas de bombeiros foram mobilizados para conter as chamas.

O aumento da frequência e da intensidade dos eventos extremos está ligado à crise climática provocada pelo aquecimento global, de acordo com cientistas e órgãos especializados no tema.

(Folhapress)

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!