Mercado

China reduz impostos sobre transações na bolsa e deve ter reflexos globais

Objetivo é restaurar a confiança na segunda maior bolsa de valores do mundo, em um contexto de desaceleração econômica no país

Por Agências
Publicado em 28 de agosto de 2023 | 12:18
 
 
 
normal

A China anunciou, neste domingo (27), que vai reduzir pela metade o imposto sobre as transações no mercado de ações, com o objetivo de restaurar a confiança na segunda maior bolsa de valores do mundo, em um contexto de desaceleração econômica no país.  A redução de impostos, a primeira desde 2008, entrará em vigor na segunda-feira. Até agora, o imposto era de 0,1%.

"Para dinamizar o mercado de capitais e reforçar a confiança dos investidores, o imposto de selo sobre as transações de valores será reduzido pela metade a partir de 28 de agosto", afirmaram em comunicado o Ministério das Finanças e a administração responsável pela tributação.

Com o anúncio, o governo procura voltar a atrair investidores que perderam a confiança nos ativos chineses. A medida era altamente esperada pelo setor financeiro da China continental, afetado pela situação econômica do país, imerso em uma crise de dívida imobiliária, baixos gastos dos consumidores e desemprego recorde entre os jovens.

O índice CSI 300 das maiores capitalizações nas bolsas de Xangai e Shenzhen caiu cerca de 4% em 2023, após dois anos consecutivos de quedas, segundo a agência de informação financeira Bloomberg. A queda deve-se em parte à falta de recuperação econômica significativa após a pandemia de covid-19 na China. (AFP)

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!