polêmico

Deputado de extrema direita apaga símbolo judaico com extintor de incêndio

Parlamentar polonês violou um menorá, candelabro de sete braços que é símbolo do judaísmo

Por Agências
Publicado em 12 de dezembro de 2023 | 17:12
 
 
 
normal

Um deputado da extrema direita do Parlamento polonês apagou com um extintor de incêndio uma menorá, candelabro de sete braços que é símbolo do judaísmo, nesta terça-feira (12), um ato imediatamente condenado pelo primeiro-ministro, Donald Tusk.

"O que ocorreu foi algo inaceitável. É uma vergonha", disse o novo premiê polonês à imprensa.

Após o ocorrido, o presidente do Parlamento, Szymon Holownia, excluiu de uma reunião parlamentar o deputado do partido de extrema direita Konfederacja (Confederação Liberdade e Independência), Grzegorz Braun, que já tinha apresentado um comportamento semelhante. O grupo parlamentar de Braun condenou sua ação.

A menorá foi acesa no Parlamento por ocasião das celebrações do feriado judaico de Hanukkah (Festa das Luzes), na presença de personalidades judaicas.

Em vídeos publicados na imprensa polonesa, é possível ver o deputado apagando o artefato judaico e logo em seguida uma nuvem de pó proveniente do extintor tomando conta de uma sala do Parlamento.

Veja vídeo:
 

O presidente da Câmara Baixa condenou "esta humilhação para o Parlamento polonês" e afirmou que enquanto permanecer no cargo "não haverá tolerância ao antissemitismo, aos desvios e ao racismo", disse ele, interrompendo os debates.

No final de uma reunião da presidência do Parlamento, Holownia indicou que Braun foi condenado a sanções financeiras máximas, que seria denunciado à Justiça e poderia ser sentenciado a uma pena de até dois anos de prisão.

"Vergonha! Um membro do Parlamento polonês acabou de fazer isto. Poucos minutos depois de celebrarmos o Hanukkah lá", disse o embaixador de Israel na Polônia, Yacov Livne, nas redes sociais, publicando um vídeo de Braun apagando a menorá. 

A maioria dos grupos parlamentares, incluindo o partido populista nacionalista Lei e Justiça (PiS), condenou o ato.

(AFP)
 

 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!