Astronomia

Eclipse lunar será visível em mais de 9 regiões do mundo na sexta (5); veja onde

De acordo com a Nasa, o fenômeno será um eclipse lunar penumbral - quando a Lua entra na sombra externa da Terra (penumbra)

Por Agência
Publicado em 03 de maio de 2023 | 20:11
 
 
 

Na sexta-feira (5), um eclipse lunar será visível para habitantes de Europa Oriental, Oriente Médio, África, Ásia, Austrália, Nova Zelândia, Antártica, Oceano Atlântico Sul, Oceano Índico e Oceano Pacífico, segundo o site EarthSky. Diferentemente dos eclipses solares, que ocorrem quando a Lua se coloca exatamente entre o Sol e a Terra, fazendo com que o cone de sombra do nosso planeta incida sobre uma certa região, como registrado no último dia 20, nos lunares a Terra se posiciona entre a Lua e o Sol. Assim como os eclipses solares, os lunares são completamente previsíveis.

De acordo com a Agência Aeroespacial dos Estados Unidos (Nasa), o fenômeno da próxima sexta será um eclipse lunar penumbral - quando a Lua entra na sombra externa da Terra (penumbra). Sua visualização depende da condição climática. Do Brasil, não será possível avistar de nenhuma localidade.

Segundo o site EarthSky, o fenômeno está previsto para começar às 12h13 (horário de Brasília), com duração de 258 minutos. Ou seja, em países do outro lado do mundo será noite ou madrugada.

Começo do eclipse penumbral: 12h13 (horário de Brasília)

Maior eclipse penumbral: 14h22 (horário de Brasília)

Fim do eclipse penumbral: 16h31 (horário de Brasília)

Conforme o site EarthSky, no maior eclipse, quase toda a Lua estará dentro da sombra penumbral externa da Terra. "Será um sutil sombreamento escuro na Lua e, no meio do eclipse, apenas uma pequena lasca da Lua cairá fora desse sombreamento escuro."

"Os eclipses lunares ocorrem quando a Terra se coloca exatamente entre o Sol e a Lua, de forma que o cone de sombra de nosso planeta é projetado sobre a Lua e os observadores do lado de nosso planeta que estiverem voltado para a Lua verão a mesma obscurecida pela sombra da Terra", afirma Roberto Costa, professor do departamento de Astronomia da Universidade de São Paulo (USP).

No dia 28 de outubro deste ano, haverá um eclipse parcial visível do Brasil.

Tipos de eclipses lunares:

Eclipse lunar penumbral: É o tipo mais sutil de eclipse lunar. Ocorre quando a Lua entra na sombra externa da Terra (penumbra). Ou seja, quando não se vê o disco de sombra da Terra sobre a Lua, mas sua luminosidade diminui um pouco porque o cone de sombra da Terra está próximo.

Eclipse lunar parcial: Quando a sombra da Terra encobre parcialmente o disco da Lua, de acordo com o movimento do nosso planeta e do seu satélite natural ao redor do Sol. Ou seja, apenas uma parte da Lua é atingida pela sombra da Terra.

Eclipse lunar total: Quando o disco da Lua é totalmente encoberto pela sombra da Terra. A parte mais escura da sombra da Terra - a umbra - cobre a Lua no meio do eclipse.

Por que a lua pode ficar vermelha durante um eclipse lunar total?

Os eclipses lunares totais também são conhecidos como "luas de sangue", pois em determinado momento o satélite ganha uma cor avermelhada e enferrujada. É que a atmosfera da Terra funciona como uma espécie de filtro, que joga a parte vermelha da luz do Sol para a Lua.

Eclipse lunar x eclipse solar:

Eclipse lunar: Terra está alinhada entre a Lua e o Sol.

Eclipse solar: Lua se coloca exatamente entre o Sol e a Terra.

Eclipse solar híbrido: em alguns pontos da Terra o eclipse é anular e em outros é total.

Veja também os quatro tipos de eclipses solares:

Eclipse solar parcial: apenas uma parte do sol é encoberta pela Lua.

Eclipse solar anular: a Lua cobre o centro do Sol, mas uma parte permanece visível, formando um anel.

Eclipse solar total: Sol é totalmente encoberto pelo disco da Lua. (ESTADÃO CONTEÚDO)

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!