escândalos

Famosas festas ‘bunga bunga’ marcaram vida de luxúria de Berlusconi; relembre

Brasileira esteve envolvida nas orgias que reuniam prostitutas e diversos políticos e empresários na mansão do ex-primeiro-ministro italiano

Por O Tempo
Publicado em 12 de junho de 2023 | 08:56
 
 
 

O bilionário e ex-primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi, que faleceu aos 86 anos, marcou por um quarto de século o panorama político de seu país, apesar de uma vida marcada pela luxúria e os excessos, entre a grandeza e a decadência. Uma das polêmicas mais famosas envolvendo o magnata foi a realização das famosas festas "bunga bunga". Os eventos reuniam prostitutas e diversos políticos e empresários para orgias na mansão de Berlusconi em Milão.

O caso veio à tona em fevereiro de 2011, quando a marroquina Karima El Mahoroug, conhecida como Ruby "Rouba Corações", revelou detalhes das festas. O ex-premiê chegou a ser condenado a sete anos de prisão por prostituição de menor de idade e abuso de poder. O escândalo aumentou a pressão judicial sobre Berlusconi e foi apontado como um dos fatores que o levou a renunciar ao cargo de premiê, em novembro de 2011. 

Em 2022, a revelação de que uma brasileira estava envolvida nas festas "bunga bunga" repercutiu no Brasil. A mulher, que hoje tem 30 anos, é Iris Berardi. Ela frequentava os eventos quando ainda era adolescente. Berlusconi foi absolvido em fevereiro deste ano da acusação de suborno de testemunhas para que mentissem sobre o suposto envolvimento dele no escândalo de prostituição de menores nas festas de "bunga-bunga".

Títulos e traições

Condecorado como "Cavaleiro do Trabalho" ('Cavaliere del Lavoro') aos 41 anos, ele perdeu o título depois da condenação definitiva em 2013 a quatro anos de prisão por fraude fiscal no caso Mediaset. E foi a televisão que fez toda a diferença na carreira do grande comunicador. A holding da família Berlusconi, Fininvest, inclui redes de televisão (Mediaset), jornais, a editora Mondadori e participações em outras empresas.

Berlusconi também foi dono por 31 anos do Milan, clube que venceu a Liga dos Campeões sete vezes, antes de vender a equipe para investidores chineses em 2017. Apesar das críticas e polêmicas, o bilionário foi por quase duas décadas o "líder máximo" da direita italiana.

Seu último mandato como premiê, de 2008 a 2011, foi marcado pelos abusos do empresário no exercício do poder, que provocaram críticas da imprensa, dos empresários e até mesmo da Igreja Católica italiana.

Muito preocupado com a imagem, Berlusconi tingia o cabelo, usava maquiagem e recorreu diversas vezes a cirurgias plásticas. O gosto por mulheres atraentes custou em 2009 um estrondoso processo de divórcio de sua segunda esposa, Veronica Lario.

Pai de cinco filhos, de dois casamentos, e com vários netos, este personagem único na história italiana conquistou já idoso sua nova companheira, Marta Fascina, de apenas 30 anos, ex-modelo e deputada pelo 'Forza Italia'.

Silvio Berlusconi passou por uma cirurgia de coração aberto em 2016 e voltou a ser operado em 2019 devido a uma obstrução intestinal. Em abril, depois de ser hospitalizado por problemas respiratórios, exames médicos revelaram que sofria de leucemia crônica. (Com AFP/Folhapress) 

 

 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!