EUA

FBI apreende celulares do prefeito de Nova York

Investigação quer saber se Eric Adams recebeu doações do governo turco ou por cidadãos turcos através de uma trama

Por Agências
Publicado em 11 de novembro de 2023 | 08:31
 
 
 

Agentes do FBI confiscaram os telefones celulares e outros dispositivos do prefeito de Nova York, Eric Adams, como parte de uma investigação federal sobre o financiamento de sua campanha, disse seu advogado nesta sexta-feira (10 de novembro).

A ação estaria relacionada à investigação que busca determinar se a campanha de Adams em 2021 conspirou com o governo da Turquia.

"Na segunda-feira à noite, o FBI abordou o prefeito após um evento. O prefeito prontamente atendeu ao pedido do FBI e entregou seus dispositivos eletrônicos", afirmou Boyd Johnson, advogado da campanha, em declarações à AFP.

"O prefeito não foi acusado de nenhum crime e continua cooperando com a investigação", acrescentou.

A investigação federal sobre a campanha de Adams tornou-se pública na semana passada, quando agentes do FBI vasculharam a residência de sua ex-arrecadadora de fundos - uma ex-estagiária de 25 anos, Brianna Suggs - e confiscaram laptops, celulares e uma pasta com a etiqueta "Eric Adams".

A notícia da busca fez com que o prefeito retornasse a Nova York de Washington, onde planejava se reunir com autoridades da Casa Branca e do Congresso para discutir a chegada de migrantes à sua cidade.

Em uma declaração na sexta-feira, Adams, ex-policial, disse que espera que todos os membros de sua equipe "respeitem a lei e cooperem plenamente com qualquer tipo de investigação".

"Continuarei fazendo exatamente isso", disse. "Não tenho nada a esconder".

A ordem do FBI para cumprir o mandado na residência de Suggs buscava evidências de conspiração entre a campanha do prefeito, a Turquia e um promotor imobiliário do Brooklyn cujos proprietários são turcos, de acordo com o The New York Times.

As autoridades investigam se doações foram feitas a Adams pelo governo turco ou por cidadãos turcos através de uma trama que envolvia contribuintes falsos.

Nesta sexta-feira, o advogado Johnson afirmou que "após tomar conhecimento da investigação federal, descobriu-se que um indivíduo agiu recentemente de maneira inadequada", sem especificar a qual investigação se referia.

"Em nome da transparência e cooperação, esse comportamento foi imediatamente e proativamente comunicado aos investigadores. O prefeito esteve e continua comprometido em cooperar neste assunto".

A apreensão dos dispositivos de Adams marca a primeira vez que tal investigação atinge diretamente o prefeito de Nova York. (AFP)

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!