Relações internacionais

Fim de governo esvazia a participação brasileira no G20

Jair Bolsonaro não deve participar da reunião, cabendo ao chanceler Carlos França representar o país

Por Agências
Publicado em 13 de novembro de 2022 | 09:20
 
 
 

Recluso no Palácio da Alvorada desde a derrota na eleição, o presidente Jair Bolsonaro (PL) não tem, até agora, presença prevista nas reuniões de cúpula do G20. Se não viajar, de fato, a Bali, a participação brasileira no evento, já bastante esvaziada por se tratar de um governo em seus últimos dias, deve perder ainda mais em importância.

Salvo mudança de plano de última hora, o Brasil será representado pelo ministro de Relações Exteriores, Carlos França. Especialistas em relações internacionais esperam uma atuação discreta do chanceler.

Estrategista-chefe do Voiter, Roberto Dumas diz que, com a troca de governo, espera-se um retorno do Brasil às relações multilaterais, com o País apresentando ao mundo uma aguardada nova agenda ambiental. "O Brasil voltou ao cenário internacional Não significa que é um protagonista, mas que agora tem muito mais a dizer, principalmente em relação ao meio ambiente."

(Estadão Conteúdo)

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!