negociação

França só ratificará acordo com Mercosul se for 'justo', diz ministro

O acordo assinado em 2019 entre a União Europeia e os quatro países do Mercosul não foi ratificado por causa das políticas ambientais do governo Bolsonaro

Por Agências
Publicado em 02 de fevereiro de 2023 | 18:15
 
 
 
normal

A França ratificará o acordo de livre-comércio entre a União Europeia (UE) e os países do Mercosul se for "justo" em termos de padrões ambientais recíprocos, disse o ministro francês da Agricultura nesta quinta-feira (2).

"Precisamos de acordos comerciais justos", disse o ministro Marc Fesneau em um congresso da federação francesa de produtores de carne bovina em Metz, leste da França.

"No momento, afirmamos que o acordo não era aceitável. Isso não significa que não haverá um acordo algum dia com o Mercosul", completou, reiterando que a França não prevê ratificá-lo "em seu estado atual".

O acordo assinado em 2019 entre a UE e os quatro países do Mercosul (Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai), após mais de 20 anos de negociações, não foi ratificado devido a preocupações levantadas na Europa pelas políticas ambientais do ex-presidente da República Jair Bolsonaro.

O tom das conversas, no entanto, mudou com a chegada ao poder do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Os agricultores franceses, e principalmente pecuaristas, temem que, com o acordo, mais produtos agrícolas sul-americanos com padrões de produção menos exigentes cheguem ao mercado europeu.

Diferentemente da UE, o Brasil não proibiu a administração de antibióticos promotores de crescimento em animais.

Na segunda-feira, o vice-presidente da Comissão Europeia, Frans Timmermans, revelou que a UE pretende assinar um acordo até julho.

(AFP)
 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!