manutenção

Governo conservador vence com folga eleições na Grécia

O partido Nova Democracia (ND), no poder de 2019 até o fim de maio, teve 40,5% dos votos

Por Agências
Publicado em 25 de junho de 2023 | 19:01
 
 
 

O partido de direita de Kyriakos Mitsotakis venceu com folga as eleições legislativas deste domingo na Grécia, conquistando uma maioria absoluta que lhe permitirá um novo mandato como primeiro-ministro.

O partido Nova Democracia (ND), no poder de 2019 até o fim de maio, teve 40,5% dos votos, mais do que o dobro do partido de esquerda Syriza, de Alexis Tsipras, que obteve 17,8%, segundo resultados baseados na apuração de mais de 90% dos colégios eleitorais.

O resultado garantiria à direita 157 das 300 cadeiras do Parlamento grego, unicameral, segundo analistas. Desta forma, Mitsotakis voltaria a ocupar o cargo de primeiro-ministro, o qual teve que deixar no fim de maio, antes das eleições.

“O povo nos deu um mandato forte para avançarmos rumo às grandes mudanças de que o país necessita”, festejou o político, 55, perante militantes do seu partido.

'O mais forte' 

"O Nova Democracia é o partido de centro-direita mais forte da Europa!", exclamou Mitsotakis, do lado de fora da sede do partido, em Atenas.

Quatro anos após chegar ao poder, o Nova Democracia melhora seus resultados frente a 2019, quando obteve 39,85% dos votos.

Oito partidos teriam superado a barreira de 3% para entrar no Parlamento, entre eles o Spartiates, de extrema direita, apoiado por Ilias Kassidiaris, ex-líder do partido neonazista Amanhecer Dourado, que está preso.

A vitória eleitoral deste domingo dará ao vencedor um bônus de 50 deputados na câmara (de um total de 300), o que poderia ajudar Mitsotakis de forma decisiva.

'Com a razão'

Em uma escola de Atenas, Aris Manopoulos, comerciante de cerca de 50 anos, disse que optou por votar "com a razão". "Votei no Nova Democracia, para que o país avance e continue se reerguendo economicamente", declarou.

Ao darem ao Nova Democracia a maioria absoluta nas eleições de julho de 2019, em detrimento do Syriza, os gregos queriam virar a página de anos de crise financeira e planos de resgate, que destruíram 25% do PIB e ameaçaram tirar o país da zona do euro.

Filho de um ex-premier e tio do atual prefeito de Atenas, Mitsotakis não deixou de ostentar seu balanço econômico, marcado por um crescimento de 8,3% em 2021 e 5,9% em 2022, com o desemprego em queda.

Durante sua campanha, Mitsotakis prometeu aumentos salariais, principalmente para as pessoas de menor renda, principal preocupação dos gregos, em um contexto de custo de vida elevado.

O líder conservador também prometeu realizar contratações em massa no setor público de saúde, afetado por uma escassez grave de recursos desde a crise financeira e os programas de austeridade impostos a numerosos serviços públicos. 

(AFP)
 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!