povo nahua

Governo do México acusa Shein de plagiar desenhos indígenas

A marca teria usado em estampas desenhos com características da identidade do povo nahua de San Gabriel Chilac, Puebla

Por Agências
Publicado em 07 de julho de 2023 | 21:47
 
 
 
normal

O governo do México denunciou, nesta sexta-feira (7), que a empresa chinesa Shein, gigante da moda de baixo custo, reproduziu sem autorização elementos de desenhos indígenas "em várias peças". 

"Detectamos" na página da Shein "várias peças com elementos distintivos e característicos da cultura e identidade do povo nahua de San Gabriel Chilac, Puebla" (centro), disse a Secretaria de Cultura. 

Essa pasta, que tem status de ministério, enviou uma carta de protesto e destacou em sua denúncia, especificamente, a camisa da coleção Emery Rose com "estampa floral". 

Para os nahuas, "essas peças não são apenas flores bordadas, mas representam parte de seu entorno biocultural e parte de sua história, e também um saber que foi transmitido de geração em geração e cujo sentido simbólico os representa como povo", diz o comunicado. 

Essa etnia não tem "condições de competir no mercado com peças fabricadas de maneira industrial" e "além dos prejuízos econômicos, há danos morais, já que também foram despojados de sua identidade como grupo", assinalou a Secretaria de Cultura. 

O México pede à Shein que "explique publicamente com quais fundamentos privatiza uma expressão cultural tradicional de propriedade coletiva, fazendo uso de elementos culturais cuja origem está plenamente documentada". 

O governo mexicano já denunciou anteriormente a Shein e outras marcas de roupas estrangeiras - como a espanhola Zara e a grife de Carolina Herrera, estilista venezuelana radicada nos Estados Unidos - por casos semelhantes.  (AFP)

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!