HEDIONDO

Mulher de 100 anos com demência e em cadeira de rodas foi decapitada por neto

A idosa foi atingida 16 vezes por um machado e morreu após ter a medula espinhal cortada; acusado enfrenta julgamento na próxima segunda-feira (11/09)

Por O Tempo
Publicado em 08 de setembro de 2023 | 18:36
 
 
 

Um homem de 37 anos enfrenta acusações de ter decapitado brutalmente sua própria avó de 100 anos com um machado em Hamburgo, na Alemanha. A vítima, Amalie G, uma trabalhadora agrícola aposentada, foi encontrada sem vida em seu apartamento após o violento ataque perpetrado por seu neto em março deste ano, de acordo com as autoridades de investigação.

Após o crime, Artur notificou a polícia e admitiu ser autor do ato hediondo. Exames forenses revelaram que a vítima, Amalie, foi atingida 16 vezes pelo machado enquanto tentava desesperadamente se defender com um aspirador de pó sem fio. A morte foi causada por um golpe que cortou sua medula espinhal.

Artur B, que já havia sido tratado e recebido prescrição de medicamentos para problemas psicológicos, consultou um psiquiatra após sua prisão, alegando que estava enfrentando dificuldades ao cuidar de sua avó, que sofria de demência e estava confinada a uma cadeira de rodas. No entanto, um membro da família revelou ao jornal alemão "Bild" que Artur não era bem-visto pela família e que Amalie costumava se queixar de que ele a roubava.

"Na maior parte do tempo, ele estava desempregado e constantemente sem dinheiro. Os familiares mantinham distância dele", acrescentou o parente.

Sobre o caso, a promotora-chefe, Liddy Oechtering, comentou: "De acordo com o resultado preliminar da autópsia, pode-se presumir que um corte na medula cervical, causado por força cortante e contundente, foi a causa da morte. A arma do crime, um machado, foi encontrada na cena do crime".

Um vizinho da avó assassinada relatou ao Bild: "Na verdade, tivemos um bom relacionamento antes de sua morte. Amalie me contou que seu neto já havia invadido o apartamento pela varanda e tentado roubar seu dinheiro".

O vizinho também revelou que Artur costumava visitar a avó regularmente, mas frequentemente havia discussões entre os dois que chegavam a ser ouvidas pelos vizinhos devido ao tom elevado das discussões.

Parentes da vítima especulam que uma disputa por dinheiro possa ter desencadeado a terrível tragédia na noite do assassinato. A polícia descobriu um machado ensanguentado no local do crime após Artur ter chamado as autoridades para admitir o ato hediondo.

Segundo informações obtidas pelo jornal “Hamburger Abendblatt”, Artur B não tinha antecedentes criminais, sendo conhecido apenas por infrações menores que não envolviam atos de violência.

O acusado, Artur B, irá testemunhar perante o tribunal de Hamburgo na segunda-feira (11/09). O julgamento promete trazer à luz detalhes adicionais sobre essa tragédia que chocou a cidade. (Com informações de MailOnline)

 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!