operação

Nova York aumenta segurança antes de audiência de Trump nesta terça

Autoridades temem que cidade seja palco de um confronto entre apoiadores e opositores do ex-presidente

Por Agência
Publicado em 04 de abril de 2023 | 11:06
 
 
 
normal

Temendo protestos violentos similares aos da invasão do Capitólio, em 6 de janeiro de 2021, a cidade de Nova York convocou um forte operativo de segurança para se preparar para a audiência do ex-presidente Donald Trump, no processo que ele responde por comprar o silêncio da atriz pornô Stormy Daniels com verbas não declaradas quando era candidato à Casa Branca, em 2016.

Trump comparece nesta terça, 4, à Justiça Estadual para fornecer suas impressões digitais, fotografia e dados pessoais ao processo. Ele chegou com discrição no fim da tarde desta segunda, 3, à Trump Tower, em Manhattan, e acenou a apoiadores que o aguardavam no local.

Depois da audiência de custódia, o ex-presidente será liberado e voltará a Mar-a-Lago, na Flórida, onde fará um pronunciamento. Os próximos passos do processo incluem uma série de audiências preliminares, nas quais o juiz do caso deve ouvir as argumentações da defesa para arquivá-lo.

Caso isso não ocorra, Trump deverá, em outra audiência, declarar-se culpado ou inocente e preparar-se para o julgamento. Além disso, a procuradoria deve remover o sigilo de Justiça do caso e divulgar todas as outras acusações que pesam contra o réu

Como precaução, o Departamento de Polícia de Nova York acionou todos seus membros desde sexta-feira, 31 - cerca de 36 mil oficiais e outros 19 mil funcionários civis - para evitar confusão. O temor é que Nova York seja o palco de um confronto entre apoiadores e opositores de Trump.

Em meio às medidas de precaução, a famosa Quinta Avenida foi tomada por grades de segurança que mudaram o visual de uma das zonas mais turísticas da cidade.

John Kirby, porta-voz da Casa Branca, ressaltou que nenhuma "ameaça ativa" foi detectada, mas que, como precaução, o governo americano está monitorando de perto a situação e em contato com autoridades estaduais e municipais caso precisem de ajuda.

Está programado um protesto para hoje ao meio-dia no Collect Pond Park, localizado em frente ao tribunal de Manhattan ao qual Trump deve comparecer. A Trump Tower amanheceu ontem cercada por jornalistas, policiais e curiosos, todos esperando a chegada de Trump, que deixou sua residência em Mar-a-Lago por volta das 13 horas.

Recepção

Para recebê-lo, alguns poucos membros do movimento MAGA (Make America Great Again) e civis foram até o local com bandeiras e cartazes nos quais criticavam o procurador de Manhattan, o democrata Alvin Bragg, responsável pelo indiciamento do presidente.

Entre eles, estava Susan Muiller, que foi até a Trump Tower com um cartaz com a imagem de Bragg em um corpo gorducho com a frase "Gordo Alvin e os jovens comunistas".

Alan Gotlieb levou sua cachorrinha Anarquia para esperar a chegada do magnata, que se apresentará hoje à Corte de Manhattan

"Neste cidade você não vai para a cadeia por praticamente nada mais agora. As pessoas estão sendo roubadas, machucadas, mas esse cara, o presidente que foi indiciado… e eu ouvi, não sei se é verdade que vão colocar uma mordaça nele", disse o partidário de Trump.

Para Alan Taowan, outro apoiador do presidente, o procurador de Manhattan está sendo forçado a levar adiante o caso respondendo às pressões políticas democratas. Ele diz que o caso é uma caça às bruxas partidária.

John Mac Wigan, que é de New Jersey e vestia uma camiseta com a frase "Gays for Trump", disse à reportagem que a fama de homofóbico, racista e misógino do ex-presidente não passa de uma armação midiática.

Entenda tudo o que está acontecendo com Donald Trump: o indiciamento, o peso político e os personagens envolvidos.

 

(Estadão Conteúdo)

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!