Ligação com a cultura

Papa emérito foi escritor best-seller e tema de filme de diretor brasileiro

Em Dois Papas, de Fernando Meirelles, Bento XVI foi interpretado pelo premiado ator Anthony Hopkins

Por Ana Clara Brant
Publicado em 31 de dezembro de 2022 | 08:40
 
 
 

Batizado como Joseph Ratzinger e mais tarde conhecido  como o Papa Bento XVI, também teve uma ligação com a cultura. O papa emérito, que morreu neste sábado (31) aos 95 anos foi um 
escritor best-seller. O religioso também foi autor de  clássicos acadêmicos. Aliás, para vários críticos e historiadores, o grande legado dele Bento são os seus textos teológicos, que ainda serão estudados por muitas gerações.
 
A série de livros “Jesus de Nazaré”, publicada em 2007, narra a história da vida de Jesus com toques de história e teologia e acabou se tornando best-seller em muitos países. Já entre seus clássicos acadêmicos está o livro “Introdução ao Cristianismo”, que compila lições universitárias publicadas em 1968.
 

Netflix

Em 2019, o diretor brasileiro Fernando Meirelles (Cidade de Deus e Ensaio Sobre a Cegueira) dirigiu um longa para a Netflix em que tinha o papa emérito como um dos protagonistas. Em Dois Papas, uma ficção, o cardeal argentino Jorge Bergoglio, interpretado pelo ator galês Jonathan Pryce, está decidido a pedir sua aposentadoria, devido a divergências sobre a forma como o papa Bento XVI, papel do também galês Anthony Hopkins tem conduzido a Igreja.

Com a passagem já comprada para Roma, ele é surpreendido com o convite do próprio papa para visitá-lo. Juntos, eles precisam superar suas diferenças e construir um novo caminho para a Igreja Católica. As atuações dos dois veteranos atores são os grandes destaques da produção que levou vários prêmios internacionais. 

 

 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!