relações internacionais

Putin quer reforçar cooperação militar com China

Presidente russo também elogiou a resistência de Moscou e Pequim às ‘pressões’ ocidentais

Por Agência
Publicado em 30 de dezembro de 2022 | 10:26
 
 
 

O presidente russo, Vladimir Putin, manifestou nesta sexta-feira (30) seu desejo de fortalecer a cooperação militar com a China, durante uma reunião por videoconferência com seu homólogo chinês, Xi Jinping. Na conversa, Putin também elogiou a resistência de Moscou e Pequim às "pressões" ocidentais. 

"Em um contexto de pressões e provocações sem precedentes por parte do Ocidente, defendemos nossas posições de princípio", declarou Putin. Segundo ele, "a coordenação entre Moscou e Pequim na cena internacional (...) está a serviço da criação de uma ordem mundial justa, baseada no direito internacional".

"A cooperação militar e técnica, que contribui para a segurança dos nossos países e para a manutenção da estabilidade em regiões-chave, ocupa um lugar especial" na cooperação sino-russa, frisou.  O presidente anunciou, ainda, que deseja "reforçar a cooperação entre as Forças Armadas russas e chinesas". 

Alvo de duras sanções ocidentais por sua ofensiva contra a Ucrânia, a Rússia tem tentado, nos últimos meses, estreitar suas relações com a Ásia, especialmente com a China, país que, no entanto, não apoiou o ataque russo ao vizinho. 

Também nesta sexta, Putin informou que Xi visitará a Rússia "na primavera" de 2023 (outono no Brasil) para uma "visita de Estado". Será a primeira desde o início da pandemia da Covid-19. (AFP)

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!