redes sociais

Rapper cresce 17 centímetros após cirurgia com quebra de ossos; entenda

Em um vídeo publicado em sua conta no Instagram, o norte-americano alega ter crescido de 1,65 cm para 1,82 cm.

Por O TEMPO
Publicado em 16 de maio de 2023 | 13:58
 
 
 
normal

Um rapper norte-americano conhecido como Mr. Broken Bonez (senhor ossos quebrados, em português) viralizou após compartilhar nas redes sociais sua jornada de crescimento forçado de estatura. 

Em um vídeo publicado em sua conta no Instagram, o norte-americano alega ter crescido de 1,65 cm para 1,82 cm. As imagens foram vistos por mais de 50 milhões de pessoas, até este terça-feira (16/5).

 

Para crescer, o rapper passou por sucessivas cirurgias para alargar os ossos da perna, procedimento geralmente indicado para pessoas com nanismo ou outras doenças. Contudo, ele se submeteu com fins estéticos.

“Quero poder voltar para a minha vida depois destes tratamentos como um novo homem”, escreveu no Instagram. A recuperação dos procedimentos, porém, depende de longas sessões de fisioterapia e um cuidado para a cicatrização das feridas deixadas pelos extensores de ossos.

Finalidades do alongamento ósseo

Há três finalidades para a cirurgia de alongamento ósseo. A primeira é corrigir a discrepância dos membros, corrigindo também as deformidades associadas a esse crescimento irregular de membros inferiores e superiores.

A segunda é alongar indivíduos com nanismo, principalmente o acondroplásico, pessoas que têm o corpo desproporcional. “E, nesse caso, a cirurgia de alongamento é necessária, uma vez que essas pessoas são marginalizadas na sociedade pela sua altura. Muitos não conseguem realizar atividades básicas como acender a luz, pegar ônibus, subir escada. São muitas dificuldades que prejudicam a qualidade de vida”, diz o ortopedista José Carlos Bongiovanni.

O alongamento é um programa contínuo. Na primeira fase, são alongadas as pernas – que ganham cerca de 10 cm. Depois, os braços, que crescem em média 8 centímetros e, por fim, os fêmures em mais ou menos 10 centímetros. “É necessário alongar 20 centímetros em membros inferiores e oito em membros superiores para dar proporcionalidade e para o corpo voltar a ser funcional”.

Alto custo

O alto custo está associado à complexidade do procedimento e demora na recuperação. Cada fixador custa cerca de R$ 40.000. Ao incluir a equipe médica, internação, medicamentos e fisioterapia, o valor inicial estimado é de R$ 100.000 e deve ser pago integralmente pelo paciente. Tanto os planos de saúde quanto o Sistema Único de Saúde (SUS) cobrem apenas os custos de alongamentos ósseos para correção de deformidades.

Além da dor e do longo período de recuperação, o alongamento ósseo envolve muitos riscos, desde aqueles presentes em qualquer cirurgia, como infecção, até os específicos. As complicações incluem embolia pulmonar, problemas de regeneração óssea, lesões vasculares, neurológicas e funcionais (limitação da mobilidade). Pode haver ainda deformação e diferença de comprimento entre as pernas.

Pacientes obesos e com problemas de coagulação têm risco aumentado. Apesar disso, a única contraindicação absoluta para a realização desse procedimento para fins estéticos é o tabagismo.

*Com informações de Portal uol e O GLOBO

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!