guerra

Rússia diz ter derrubado dezenas de drones ucranianos em Moscou após ataque

Os aeroportos de Vnukovo e Domodedovo, em Moscou, fecharam brevemente devido ao ataque

Por Agências
Publicado em 26 de novembro de 2023 | 14:27
 
 
 
normal

Autoridades russas disseram neste domingo, 26, que a Ucrânia tentou atacar Moscou com dezenas de drones durante a noite. A tentativa ocorreu um dia depois de a Rússia ter lançado o seu ataque de drones mais intenso a Kiev desde o início da guerra entre os dois países, segundo autoridades ucranianas.

As defesas aéreas russas derrubaram pelo menos 24 drones sobre a região de Moscou - que circunda, mas não inclui a capital - e quatro outras províncias ao sul e oeste, relataram o Ministério da Defesa russo e o prefeito de Moscou, Sergei Sobyanin, em uma série de atualizações do Telegram. Não foram mencionadas vítimas

Andrei Vorobyev, governador da região de Moscou, disse via Telegram que os ataques de drones danificaram três edifícios não especificados, mas acrescentou que não houve feridos. Canais russos da rede social relataram que um drone caiu em um prédio de apartamentos de 12 andares na cidade de Tula, no oeste da Rússia, cerca de 180 quilômetros ao sul de Moscou, ferindo um residente e assustando outros.

Os aeroportos de Vnukovo e Domodedovo, em Moscou, fecharam brevemente devido ao ataque, de acordo com a agência de notícias estatal russa Tass. Ambos pareciam ter retomado a operação normal às 6h, horário local, de acordo com dados de portais internacionais de rastreamento de voos.

Canais russos do Telegram especularam que as forças ucranianas tinham utilizado um tipo de drone nunca antes visto no suposto ataque, apontando algumas semelhanças com as armas fabricadas no Irã que Moscou utiliza rotineiramente nos seus ataques à Ucrânia

A capital russa tem sido regularmente atacada por drones desde maio, com as autoridades russas culpando a Ucrânia. Analistas militares comentaram na época que os primeiros ataques utilizaram drones ucranianos de fabricação local, que não podiam transportar uma carga útil tão pesada quanto os Shaheds de fabricação iraniana. Autoridades ucranianas não reconheceram nem comentaram os ataques.

Também nesta manhã, o Ministério da Defesa russo informou que dois foguetes S-200 de fabricação soviética disparados por Kiev foram abatidos sobre o mar de Azov, que se estende entre a Crimeia e a costa sudeste da Ucrânia ocupada pela Rússia. De acordo com fontes de notícias locais, sirenes de ataque aéreo soaram pouco antes na Crimeia anexada pela Rússia. Não houve relatos de vítimas nem comentários das autoridades em Kiev.

Partes do leste da Ucrânia ocupadas pela Rússia ficaram sem energia após um ataque noturno ucraniano a uma usina termelétrica na região de Donetsk, informou uma autoridade local em Moscou no Telegram neste domingo. De acordo com Denis Pushilin, que dirige a província anexada ilegalmente pela Rússia no ano passado, o ataque à central de Starobesheve cortou a eletricidade em partes das cidades ocupadas de Donetsk e Mariupol, juntamente com outras áreas próximas.

Nos arredores de Donetsk, as tropas russas continuaram as suas tentativas de avançar perto de Avdiivka, a cidade oriental que tem sido um reduto ucraniano e um local de combate desde os primeiros dias da guerra. A Ucrânia disse ainda nesta manhã que as forças de Kiev nas 24 horas anteriores repeliram os ataques russos a nordeste, oeste e sudoeste de Avdiivka, enquanto as tropas de Moscou se esforçam para cercar a cidade.

(Estadão Conteúdo)
 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!