protesto

Russo é preso ao tentar incendiar mausoléu de Lenin

O suspeito, de 37 anos, foi detido na noite de segunda-feira depois de lançar um coquetel molotov contra o mausoléu

Por Agências
Publicado em 20 de julho de 2023 | 18:57
 
 
 

Um tribunal de Moscou ordenou, nesta quinta-feira (20), a prisão de um cidadão russo acusado de tentar atear fogo ao mausoléu de Lenin na Praça Vermelha da capital, um crime passível de até sete anos de prisão.

A corte determinou a manutenção da prisão de Konstantin Starchukov pelo período de dois meses, à espera de seu julgamento, assinalou o tribunal Taganski de Moscou, citado pela agência de notícias Ria Novosti.

Segundo a imprensa russa, o indivíduo, de 37 anos, foi detido na noite de segunda-feira depois de lançar um coquetel molotov contra o mausoléu que abriga o corpo embalsamado do ex-líder soviético Lenin.

O tribunal não detalhou as supostas motivações do ato. Em maio deste ano, um homem tentou atacar o mausoléu da mesma maneira. Já em fevereiro, outro indivíduo, embriagado, tentou roubar a múmia do fundador da União Soviética.

O debate sobre o que fazer com o corpo do revolucionário bolchevique é recorrente na Rússia. Em 2019, o presidente Vladimir Putin disse que era contra enterrá-lo.

Inaugurado após sua morte em 1924, o mausoléu de Lenin está situado na Praça Vermelha de Moscou, aos pés das muralhas do Kremlin, e milhares de turistas o visitam a cada ano.

(AFP)
                
 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!