estragos

Tempestades deixam ao menos sete mortos na América Central

Além de inundações, as chuvas provocaram transbordamento de rios, enxurradas de lama e deslizamentos de terra

Por Agência
Publicado em 08 de novembro de 2023 | 07:55
 
 
 

As fortes chuvas que afetam Honduras, Guatemala e El Salvador deixaram pelo menos sete mortos e milhares de afetados, principalmente em enchentes e deslizamentos de terra nos países, informaram fontes da Defesa Civil nesta terça-feira. 

Em Honduras, um comunicado da estatal Comissão Permanente de Contingências (Copeco) revelou que, nos últimos dias, as chuvas deixaram três mortos, 35.315 afetados, 2.095 evacuados e 1.632 pessoas em abrigos. 

Além disso, em consequência das chuvas intensas, um total de 114 comunidades estão incomunicáveis, assim como 15 casas foram destruídas e 823 foram afetadas de alguma forma. 

A região mais prejudicada é o vale de Sula (norte), coluna vertebral da economia do país, onde as cheias dos caudalosos rios Ulúa e Chamelecón obrigaram os organismos de resgate a evacuar milhares de pessoas e levá-las para abrigos ou casas de parentes. 

Em El Salvador, a polícia informou que três pessoas morreram na terça-feira no departamento de San Miguel, depois que o veículo em que viajavam "foi arrastado por uma corrente de água".

Já na Guatemala, um porta-voz da estatal Coordenadoria para a Redução de Desastres (Conred), Rodolfo García, disse que as chuvas deixaram um morto, 33.300 pessoas afetadas, 331 em albergues, 34 casas com danos leves e 14 com graves danos no nordeste e noroeste do país. 

As inundações ocorrem principalmente nos departamentos de Izabal, no Caribe, e de Alta Verapaz (norte), detalhou.  Além de inundações, as chuvas provocaram transbordamento de rios, enxurradas de lama e deslizamentos de terra que afetaram 44 estradas do país. 

De acordo com a Conred, essa estação chuvosa, que começa em maio e termina em novembro, deixou 59 pessoas mortas, 12 desaparecidas, 4,2 milhões de afetadas, 23.007 evacuadas e 1.206 tiveram que ir para abrigos. Além disso, 395 estradas foram danificadas e cinco destruídas, 50 pontes foram afetadas e 15 destruídas. 

No ano passado, os incidentes relacionados à chuva deixaram 67 mortos, dez desaparecidos, 41 feridos, 6,2 milhões de pessoas afetadas e 70.024 evacuadas. 

Na Costa Rica, a Comissão Nacional de Emergência (CNE) informou nesta terça-feira "mais de 60 incidentes por inundações", especialmente no cantão de Cartago, com 400 casas danificadas. 

Todos os anos, a estação chuvosa, entre maio e novembro, causa dezenas e até centenas de mortes na América Central, uma das regiões mais vulneráveis à mudança climática. (AFP) 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!