efeitos climáticos

Unesco alerta que 1/3 das geleiras do Patrimônio Mundial desaparecerão até 2050

Relatório aponta que o derretimento do gelo e da neve é uma das dez principais ameaças causadas pelo aquecimento global

Por Agência
Publicado em 03 de novembro de 2022 | 08:24
 
 
 

Um terço das geleiras declaradas Patrimônio da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco) desaparecerão até 2050, "qualquer que seja o cenário climático", alertou a organização nesta quinta-feira (3) e pediu "redução rápida das emissões de CO2" para preservar os dois terços restantes. 

O estudo abrange 18.600 geleiras para um total de 66.000 km2, distribuídos por 50 locais do Patrimônio Mundial, ou seja, 10% da superfície glacial total da terra, "representativa" do estado das geleiras do mundo, indicou a Unesco em comunicado.  De acordo com o relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), publicado na primavera boreal (outono no Brasil), o derretimento do gelo e da neve é uma das dez principais ameaças causadas pelo aquecimento global.

As geleiras Patrimônio Mundial perdem 58 bilhões de toneladas de gelo todo ano, a mesma quantidade de água utilizada anualmente por França e Espanha, o que contribui para o aumento do nível do mar em todo o mundo, segundo a Unesco. Os dois terços que não vão desaparecer à força "poderiam ser salvos se limitarmos o aquecimento global a 1,5 grau", acrescentou o órgão da ONU. 

A conferência climática da ONU, que será realizada de 6 a 18 de novembro no balneário egípcio de Sharm el Sheikh, será "crucial para ajudar a encontrar soluções", afirmou Audrey Azoulay, diretora da Unesco. Muito provavelmente, todas as geleiras da África, listadas como Patrimônio Mundial, "desaparecerão" até 2050, incluindo as do Parque Nacional Kilimanjaro, na Tanzânia. 

Na Europa, também desaparecerão as geleiras dos Pirineus-Monte Perdido na França e na Espanha, bem como as das Dolomitas na Itália e as dos parques nacionais de Yellowstone e Yosemite nos Estados Unidos.  Geleiras nas Áreas Protegidas dos Três Rios Paralelos de Yunan, na China, perderam mais da metade de seu volume e são as que derretem mais rápido entre os locais designados. 

"Cerca de 50% das geleiras do Patrimônio Mundial podem desaparecer completamente até 2100 em um cenário em que as emissões permaneçam nos níveis atuais", alertou a organização. Além de pedir uma redução "drástica" nas emissões de gases de efeito estufa, a Unesco pede a criação de um "fundo internacional para monitoramento de geleiras". (AFP)

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!