O Tempo
Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Veja os vídeos!

Filho e equipe hospitalar de Betim festejam alta de paciente que teve Covid-19

Fábio Luciano, de 38 anos, teve 50% dos pulmões comprometidos e recebeu alta no último domingo (28), depois de ficar internado 12 dias no Centro de Cuidados Intensivos (Cecovid-4), em Betim

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
FABIOLUCIANO.JPG
O caminhoneiro Fábio Luciano, de 38 anos, foi aplaudido pela equipe hospitalar do SUS Betim após receber alta
PUBLICADO EM 30/06/20 - 16h10

Em meio a mais de 58 mil óbitos e mais de 1,3 milhão de casos confirmados de Covid-19 no Brasil, a recuperação de cada paciente infectado pelo novo coronavírus tem sido motivo de grande comemoração. No último domingo (28), a alta do caminhoneiro Fábio Luciano, de 38 anos, que teve 50% dos pulmões comprometidos por casa desta doença devastadora, foi bastante comemorada pela equipe hospitalar do Centro de Cuidados Intensivos (Cecovid-4), em Betim, na região metropolitana, onde ele permaneceu internado por 12 dias, e pelo filho caçula do mineiro, o pequeno João Fábio, de 8 anos. A felicidade dos envolvidos é pode ser vista em vídeos que circulam pela internet.

 

"Só tenho a agradecer a Deus por eu ter me recuperado, mas estou psicologicamente traumatizado. Tenho medo de passar essa doença para as pessoas que eu amo, e estou paranoico com limpeza. Quando ligo a televisão, fico desesperado de ver que os leitos de internação estão acabando em todo o país. As pessoas podem acreditar no que estão vendo na televisão, nos jornais. A situação é ainda pior ao vivo. Não é para deixar as pessoas com medo, mas é para elas terem cuidado. O isolamento é preciso. Essa doença não tem uma linha de tratamento comum. Cada paciente desenvolve uma forma de tratamento. Eu entrei na unidade ruim e sobrevivi, mas vi pessoas que entraram lá andando bem, mas que saíram em um caixão", contou Fábio, que mora com a família em Brasilândia de Minas, no Noroeste de Minas.

Morador de Brasilândia de Minas, no Noroeste de Minas, o caminhoneiro presta serviços para uma transportadora em Betim. Segundo ele, foi no início de junho, antes de fazer um carreto para a empresa, que ele começou a sentir os primeiros sintomas da Covid. Ao voltar de viagem, teve uma piora no quadro de saúde e, no mesmo dia que procurou o hospital, acabou sendo internado.

"Antes de viajar, meu nariz começou a escorrer. Achei que fosse uma sinusite, porque não tive febre. Depois, comecei a tossir também. Quando voltei, a falta de ar apareceu. Fui ao hospital particular e, no mesmo dia, acabei sendo transferido para o centro materno-infantil, onde permaneci internado por 12 dias. Quando cheguei lá, quase fui entubado. Meu nível de oxigenação no sangue estava em 78%, sendo que o ideal é entre 95% e 100%. Foi Jesus que me deu uma segunda chance. Hoje estou bem e me recuperando, isolado na casa da minha irmã. Mas continuo muito fraco. Mal consigo dar alguns passo e já fico cansado", contou o caminhoneiro, que agora vai tirar férias e só pretende voltar a trabalhar quando estiver 100% curado da Covid.

Rádio Super

O que achou deste artigo?
Fechar

Veja os vídeos!

Filho e equipe hospitalar de Betim festejam alta de paciente que teve Covid-19
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter
Log View