O Tempo
Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Em Betim

Notificações de HIV/Aids caem 6,2% em um ano

Foram 145 registros da doença em Betim no ano passado, contra 136 casos, neste ano

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
CIDADES13-1.jpg
PUBLICADO EM 06/12/18 - 20h40

Dados divulgados neste mês pela Vigilância Epidemiológica de Betim, por causa do Dia Mundial de Luta contra a Aids, lembrado no último sábado (1º), mostram que o número de pessoas infectadas pelo vírus da Aids (HIV) na cidade caiu 6,2% no último ano. Foram 145 notificações da doença, de janeiro a novembro de 2017, contra 136 casos, no mesmo período deste ano.

Apesar da queda, a referência técnica em infecções sexualmente transmissíveis/Aids de Betim, Yara Alvarenga Drumond, alertou sobre a importância de as pessoas se prevenirem contra a doença. “O diagnóstico e o tratamento precoce são importantes para prevenir a cadeia de transmissão do vírus. O uso da camisinha em todas as relações sexuais é o meio mais simples, confiável e acessível de se proteger contra HIV e outras ISTs”, salientou.

A transmissão do HIV se dá, principalmente, por relações sexuais desprotegidas, transfusão de sangue sem os devidos procedimentos sanitários de esterilização, por via vertical da gestante para o filho, pelo leite materno ou ainda pelo contato direto com sangue contaminado.

HIV x Aids

Mesmo tendo-se passado 37 anos após o mundo ter notificado os primeiros casos da doença – a descoberta aconteceu em 1981 –, muitas pessoas ainda não sabem que ter HIV, sigla em inglês para vírus da imunodeficiência humana, é diferente de ter Aids. O vírus do HIV ataca, principalmente, células do sistema de defesa chamadas CD4 e a pessoa se torna mais vulnerável a outros vírus, bactérias e ao câncer.

Entretanto, no Brasil, a maioria das pessoas infectadas por HIV não tem Aids porque o tratamento com os antirretrovirais – coquetel de medicamentos usados para impedir a multiplicação do vírus HIV no organismo – é universal e acessível pelo SUS. 

Atualmente, quase 1.300 pessoas estão cadastradas na rede pública municipal por estarem em uso de antirretrovirais. Desse total, 951 pacientes têm endereço em Betim, e 341 são de outros municípios.

Prevenção e tratamento

O tratamento de pacientes com HIV/Aids é realizado na cidade no Serviço de Prevenção e Assistência em Doenças Especializadas (Sepadi), que fica no Centro Especializado Divino Ferreira Braga. Os usuários contam com atendimento de médico infectologista e de equipe multidisciplinar composta por enfermeiros, psicólogos, farmacêuticos e assistentes sociais. Eles têm acompanhamento ambulatorial, realizam exames clínicos, fazem tratamento psicológico e recebem medicamentos antirretrovirais para infecções.

O Sepadi também oferece gratuitamente à população o teste rápido para a pessoa diagnosticar se tem ou não o vírus. Os testes são feitos no Divino Braga e nas 34 nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) do município, mediante agendamento prévio. 

Ação de conscientização

Até o fim de dezembro, as UBSs promoverão ações educativas para conscientizar a população sobre a importância da prevenção do HIV e outras Infecções Sexualmente Transmissíveis.

O que achou deste artigo?
Fechar

Em Betim

Notificações de HIV/Aids caem 6,2% em um ano
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter