O Tempo
Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Saúde

Parceria entre governo de Minas e prefeitura de Betim amplia oferta de leitos

Foram entregues 30 leitos de UTI para pacientes com a Covid-19, e há a previsão de mais 60 nos próximos dias

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Romeu Zema e Vittorio Medioli anunciam abertura de novos leitos de UTI em Betim
Romeu Zema e Vittorio Medioli anunciam abertura de novos leitos de UTI em Betim
PUBLICADO EM 07/07/20 - 10h22

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), e o prefeito de Betim, Vittorio Medioli (PSD), anunciaram nesta terça-feira (7) uma parceria para ampliação dos leitos de UTI para pacientes com a Covid-19 no Estado. Primeiramente, serão abertos 30 leitos em Betim até o fim de semana (20 já estão disponibilizados), e ainda há previsão de mais 60 caso haja necessidade.

No último sábado (4), foi publicada a deliberação da Comissão Intergestores Biparte do Sistema Único de Saúde do Estado de Minas Gerais prorrogando o prazo do edital para o credenciamento excepcional de leitos de UTI adulto e pediátrico classificados para a Covid-19, possibilitando a contratação de novos prestadores e aumentando o valor do custeio diário pelo governo, passando de R$ 800 para R$ 1.600 o valor unitário da diária do leito de UTI. Com isso, o Estado equipara o seu custeio ao mesmo valor previsto na tabela do Ministério da Saúde. 

Os novos leitos serão instalados no Centro de Cuidados Intensivos de Betim, o Cecovid 4, e visa aumentar a rede de assistência frente ao crescimento do número de casos em Minas do novo coronavírus. O Cecovid 4 está instalado no centro materno-infantil, estrutura construída pela prefeitura e transformada em centro de UTI para atender pacientes graves da Covid-19.

"Em fevereiro, o Estado tinha 2.072 unidades de UTI. Hoje (terça), com essa entrega, chegamos a 3.351. Isso significa que cerca de 1.300 leitos foram instalados em pouco mais de cem dias. Trabalhamos para que o pico da curva fosse postergado, e isso foi feito. Mas chega a um momento em que os casos crescem muito, e os especialistas preveem o pico para o próximo dia 15. Então, estamos trabalhando para que ninguém fique sem atendimento. Nenhuma das 1.300 mortes foram por falta de leito. Foram  porque os pacientes ficaram em estado grave e, infelizmente, não resistiram. Compramos respiradores e estamos reparando quase outros 400, e medidas foram tomadas para que possamos passar por esse pico. A batalha precisa continuar sendo travada, pois o vírus está aí. Quem puder, fique em casa, e quem não puder, reforce as ações de prevenção e higiene", disse o governador. 

Zema também explicou porque Betim foi escolhida para receber a abertura desses novos leitos na região por meio dessa parceria. "Um dos motivos é a ótima gestão municipal. A conclusão dessa obra aqui (o Cecovid 4) é um exemplo claro disso. Betim foi escolhida pela facilidade de interlocução, por ser uma cidade da região metropolitana e ainda por estar atendendo pacientes de outras cidades. Quando a gestão é profissional e competente, facilita muito o nosso trabalho. Ainda conversamos a mesma língua, Estado e prefeitura, pois queremos eficiência e resultado para a população. Então, isso facilita muito", afirmou. 

Betim já havia aberto 50 leitos no início da pandemia, e os novos serão custeados por meio de repasses do Estado em parceria com a prefeitura, atendendo a vários municípios que não têm estrutura nem condições de atender os pacientes. Até sexta, serão 80 ao todo na unidade, além dos 5 leitos de terapia intensiva que existem no Hospital de Campanha, instalado no Fiat Clube.

"Vamos chegar a 140 leitos aqui, no Cecovid-4, sendo que haverá a capacidade para mais 30, se precisar abrir depois. Com certeza, é um dos maiores centros de UTI do país, e o maior de Minas, para tratar especificamente pacientes com a Covid-19. O governo estadual nos pediu esse socorro de abrirmos esses novos leitos, que serão acima da nossa necessidade, mas que servirão para atender outras cidades, porque muitos municípios não têm estrutura alguma para atender pacientes mais graves. Eles poderão vir de ambulância ou até mesmo de helicóptero, já que a autorização do heliponto na unidade foi concedida na semana passada. Betim se preparou para enfrentar a pandemia e temos uma rede de atendimento capacitada e ampliada para assistir à população", declarou o prefeito Vittorio Medioli.

Nesta terça (7), eram 62 pacientes internados Cecovid-4, sendo 52% de moradores de Betim e 46% de outros municípios. Há ainda o hospital de campanha na cidade, no Fiat Clube, com capacidade para 120 leitos, sendo 115 clínicos e cinco de UTI. Trinta e um pacientes estão internados no local.

O secretário de Saúde de Betim, Guilherme Carvalho, disse que as negociações com o Estado tiveram início há cerca de três semanas.

"O governo estadual nos trouxe uma demanda por causa do aumento de casos na região e, percebendo a capacidade instalada no município de Betim e a nossa capacidade de abertura e operacionalização de leitos, foram autorizados a implantar 30 novas vagas de UTI, sendo que 20 já foram abertas e outros dez serão disponiblizadas até a próxima sexta-feira (10). O governo estadual também abriu habilitação para mais 60 novos leitos, o que possibilitará chegarmos a 140. E como a previsão do pico está previsto para o próximo dia 15, logicamente vamos fazer todo o esforço para que esses leitos estejam disponibilizados o mais rápido possível, apesar de algumas dificuldades, como escassez de mão de obra. Mas não tenho dúvidas que, trabalhando juntos, a quatro mãos, vamos entregar esses novos leitos", disse o secretário de Saúde de Betim, Guilherme Carvalho. 

 

Hospital de campanha em BH

Durante o anúncio da entrega dos novos leitos em Betim, o governador Romeu Zema disse ainda que o hospital de campanha montado pelo Estado no Expominas, em Belo Horizonte, deverá ser aberto nos próximos 15 dias.

"Em termos de instalações físicas, ele está pronto e nós temos acompanhado diariamente a ocupação de leitos clínicos para decidir o melhor momento (de abrir). Muito provavelmente, será aberto nos próximos 10, 15 dias no máximo, até para termos um colchão de segurança, mesmo que os leitos clínicos ainda tenham capacidade. Mas seria prudente nós já deixarmos o hospital de campanha em condições de operar. Como nós postergamos o pico da curva, ele ainda não foi utilizado e, se for, será parcialmente. Tudo vai depender de como será o comportamento da curva de contágio", disse o governador. 

O secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral, declarou que há um plano de contingência estadual que foi traçado que prevê a abertura de novos leitos por macrorregião.

"Em relação ao credenciamento de leitos, nós temos que ver o plano de contingência que foi traçado. Todos os leitos que foram programados para o Estado estão, cada um deles, no plano de contingência. Basta que o município ou o prestador se candidate ao financiamento que vamos ver se o leito está operante e, se estiver, será financiado pelo governo. Se não for pelo governo federal, o Estado o fará. Temos que ver se estar dentro do plano de contingência da macrorregião, se na cidade está previsto. Havendo essa previsão, haverá o financiamento", declarou.

 

(atualizada às 12h06)

Rádio Super

O que achou deste artigo?
Fechar

Saúde

Parceria entre governo de Minas e prefeitura de Betim amplia oferta de leitos
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter
Log View