O Tempo
Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Em Betim

Pré-candidato é suspeito de crime por fake news

Estratégia de criminosos é utilizar nomes de veículos de comunicação e institutos de pesquisa verdadeiros para confundir internautas e proliferar ataques contra a honra

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Junio Araújo
Apesar das evidências, Júnio negou que tenha relação com as páginas que disseminam fake news
PUBLICADO EM 09/07/20 - 23h00

O Congresso começou a votar nesta semana o projeto que criminaliza de vez as fake news, notícias falsas publicadas na internet com o objetivo de denegrir a imagem de alguém ou de propagar um ideal falso ou contrário à democracia e à ordem pública. Já aprovada no Senado, a proposta agora está sendo apreciada pelos deputados. 

Entretanto, em Betim, muita gente ainda não percebeu o risco de insistir na divulgação de material nitidamente falso. Muitas denúncias já foram feitas e vem se acumulando na Polícia Civil local. De acordo com o delegado Marcelo Cali, já foi aberto inquérito para apurar o crime, que pode resultar até na prisão dos responsáveis pelas difamações identificadas. “Já instauramos inquérito e estamos buscando a identificação dos autores. Divulgar fake news é crime contra a honra e pode resultar em detenção de seis meses a dois anos, conforme os artigos 138, 139 e 140 do Código Penal Brasileiro. Além disso, as vítimas desses crimes podem entrar com ação por danos morais”, afirmou. 

Com a aproximação das eleições, as infâmias tendem a se proliferar. Um desses perfis que já foi denunciado às autoridades policiais utiliza, de forma imprópria, a marca de um jornal da capital mineira. Valendo-se da logomarca do “Aqui Betim”, o perfil falso seria mantido por duas pessoas ligadas ao ex-secretário de saúde de Betim, Júnio Araújo. “Ele quer surgir no cenário político local da maneira mais imprópria possível, utilizando-se dessa página de forma muita clara”, denuncia o presidente do PSL de Betim, Ronie Von Fonseca, o Neguinho.

Júnio, segundo o presidente do PSL, “já teve seu nome envolvido em denúncias de corrupção no tempo em que era secretário adjunto de Saúde do ex-prefeito Carlaile Pedrosa (PSDB)” e também seria um dos homens por trás de irregularidades encontradas em relações da administração municipal de Betim na gestão anterior com o antigo Consórcio Intermunicipal de Saúde do Médio Paraopeba (Cismep), que, posteriormente, veio a se transformar em um instituto que presta serviços de saúde a municípios da região e que contrata profissionais da área médica.

“Recentemente, esse mesmo instituto também esteve envolvido em contratos de publicidade supostamente forjados, algo muito parecido com as fakenews que agora vem tomando conta da cidade e denegrindo reputações”, explicou Ronie Von, que ainda disse que pretende divulgar, nos próximos dias, os indícios de corrupção que já foram levados para o Ministério Público.

Um dos pontos que demonstra a suposta ligação de Júnio Araújo com falso “Aqui Betim” e com outras páginas que divulgam notícias falsas no Facebook é o fato do próprio perfil de Araújo estar convidando outras pessoas a curtirem o conteúdo contestado. 

Um dos posts feito pela página comete outro crime: divulgação de pesquisa eleitoral falsa, sem registro em tribunais eleitorais e utilizando marcas nacionais, como a do Instituto Datafolha, ligado ao jornal “Folha de S. Paulo”. O Tempo Betim entrou em contato com o Datafolha para verificar se foi mesmo realizada a pesquisa. A resposta foi a seguinte: “O Datafolha não realizou pesquisas eleitorais no município de Betim neste ano. O Instituto condena o uso indevido de sua marca em comunicações apócrifas que atentam contra a verdade”. 

O Facebook declarou que “está comprometido em impedir a disseminação de informações falsas e enganosas” e que usa inteligência artificial (IA) para “impedir a disseminação de desinformação”. 

Júnio disse que não tem relação com as páginas e, apesar das evidências, negou enviar convites para segui-las. "Eu não tenho relação com essas páginas e não sei quem são os responsáveis por elas. Não enviei convites para ninguém segui-las. Se isso ocorreu, foi sem meu conhecimento e pedirei uma auditoria para investigar", disse. 

 

Pandemia é usada para gerar terror

Uma das notícias falsas que já está sendo alvo de investigação, divulgada pela página fake do “Aqui Betim”, visa justamente causar o pânico na população ao afirmar que a Organização Mundial de Saúde (OMS) teria apontado Betim como “novo epicentro do coronavírus no país”. A OMS, segundo apurou a reportagem, nunca fez essa declaração. 

Pelo contrário, a entidade esteve na cidade em junho e elogiou a estrutura de combate à Covid. Na pandemia, Betim mantém o número de leitos sob controle e a taxa de letalidade é de 3,3%, ou seja, número abaixo do registrado pela vizinha Contagem, que possui taxa de 4,7%. 

“O que essa página faz é espalhar notícias falsas e tentar criar o terror. Tudo isso para beneficiar politicamente um cidadão que, no mínimo, não honra sua condição de cristão”, disse o secretario de Saúde de Betim, Guilherme Paixão, sem citar a quem ele se refere.
 

Rádio Super

O que achou deste artigo?
Fechar

Em Betim

Pré-candidato é suspeito de crime por fake news
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório

Comentários (2)

Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter
Log View