O Tempo
Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Violência

Preso acusado de matar mulher com capacete

Crime aconteceu em agosto do ano passado, na zona rural de Betim; suspeito nega assassinato

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Crime
Suspeito nega que tenha matado mulher
PUBLICADO EM 08/03/18 - 23h20

A Polícia Civil apresentou, na quarta-feira (7), Sebastião Alves de Oliveira, 54, investigado por espancar até a morte a namorada, Vilma Pereira da Conceição, 50, em Betim. Ela foi atingida com vários golpes de capacete.

O crime ocorreu em agosto do ano passado na zona rural do município, depois que o casal saiu de um forró. O corpo de Vilma Pereira foi abandonado em uma estrada de terra que dá acesso à casa do suspeito.

“No relacionamento, ele se mostrava possessivo e já tinha falado com amigos que não aceitaria o término. Não houve briga, mas acreditamos que ele tenha cometido o crime por ciúmes”, explicou o delegado Otávio de Carvalho. O suspeito foi preso preventivamente na segunda (5).

Segundo informações obtidas pela polícia, por causa do comportamento possessivo, a vítima comentava com parentes e amigos que pretendia colocar fim à relação entre os dois. No entanto, o suspeito não aceitava o término do namoro.

“No dia do crime, a vítima foi vista por testemunhas e familiares saindo de moto com Sebastião para o tal forró, não sendo mais vista. Horas depois seu corpo foi encontrado na zona rural, em uma estrada de acesso à casa do suspeito, com ferimentos em diversos locais, sobretudo na cabeça. Próximo da vítima foi encontrado um capacete que teria sido usado para agredi-la”, completou o delegado.
O suspeito, que será indiciado por feminicídio, negou que seja o autor do crime. “Eu não estava com ela. Eu nunca mataria a Vilma”, disse. (com assessoria da Polícia Civil).

O que achou deste artigo?
Fechar

Violência

Preso acusado de matar mulher com capacete
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter