O Tempo
Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Betim

'Sentia falta do toque e do carinho da família', diz recuperada da Covid-19

Luciana Aparecida, de 42 anos, ficou internada 10 dias no Hospital de Campanha Fiat Clube, precisou de transfusão de sangue, mas venceu a doença e voltou para casa

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Depois de 20 dias internadas, Luciana recebeu alta na última sexta-feira (26)
Depois de 20 dias internadas, Luciana recebeu alta na última sexta-feira (26)
PUBLICADO EM 29/06/20 - 15h04

"Me sentia abandonada, sozinha. Sentia falta de carinho, do toque dos meus filhos e do meu esposo", esse foi o maior desafio da vida da monitora escolar, Luciana Aparecida da Silva Messias Pereira, de 42 anos, que foi infectada pelo novo coronavírus (Covid-19) e ficou 20 dias internada, sendo dez deles no Hospital de Campanha do Fiat Clube, em Betim, na região metropolitana de BH. 

De acordo com Luciana, o diagnóstico demorou para ser fechado pelos médicos, uma vez que ela já estava enfrentando problemas com um mioma e uma anemia seguida de uma pneumonia.

O primeiro teste rápido realizado deu negativo e, só depois de piorar muito sentindo falta de ar, cansaço e febre, quando foi internada, que veio o resultado do PCR, dando positivo para a Covid-19. "Não fiquei entubada, mas precisei fazer uma transfusão de sangue no período que fiquei no CTI. O vírus é muito forte, mas acredito que ficar isolado contribui para a piora dos pacientes. Tinha dia que a sensação de abandono era muito forte, eu não queria nem falar com minha família no telefone, embora soubesse que a culpa não era deles. Trabalhar o emocional é muito difícil e essa questão pesou muito para que a médica me desse alta", revelou.

Enquanto a mãe lutava pela vida, os filhos, de 7 e 12 anos, e o marido dela, cumpriram quarentena em casa. "Meus filhos já são muito alérgicos e apresentaram sintomas como espirros, tosse e meu marido chegou a perder o paladar e também ficou prostrado, mas nenhum dos três foram testados. Apenas cumpriram a quarentena em isolamento total e já estão todos bem", contou.

Em casa desde a última sexta-feira (26), Luciana ainda se sente muito fraca, está com tosse e precisa fazer acompanhamento com um pneumologista, mas o fato de estar próxima dos filhos de 7 e 12 anos, já tem dado outra motivação para que ela continue o tratamento. "Estou ficando mais quietinha, quase sempre deitada, mas aos poucos vou melhorar. Nossa dificuldade agora tem sido encontrar os medicamentos indicados pelos médicos, que estão em falta nas farmácias", afirmou.

Rádio Super

O que achou deste artigo?
Fechar

Betim

'Sentia falta do toque e do carinho da família', diz recuperada da Covid-19
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter
Log View