Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Chico Maia

CBF tirou Kalil do caminho e acabou com a Primeira Liga

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
PUBLICADO EM 26/01/16 - 03h00
Na quinta-feira Alexandre Kalil twittou para os seus 914 mil seguidores: “É uma pena. Agora, eu entendo claramente por que conspiraram contra mim. A Liga acabou. Eu avisei.” Até pessoas próximas a ele acharam que ele estava exagerando. Alguns colegas da imprensa nacional o criticaram pela contundência e que a previsão dele era “furada”. Pois ontem, três dias depois, a CBF soltou nota oficial liquidando com o que era o embrião da Liga que poderia dar fim aos absurdos cometidos por essa entidade contra o futebol brasileiro. Com ingressos já vendidos para Atlético x Flamengo e alguns demais jogos do que seria a Copa Sul-Minas-Rio, matou a disputa, fazendo todos nós, imprensa e público, de palhaços. São um bando de moleques, que continuam mandando do jeito que querem no futebol nacional, atuando ardilosamente, jogando uns clubes contra os outros, para que nunca se unam e façam prevalecer seus direitos e sua força.

A pedra fora do caminho
 
Minutos antes de Kalil tuitar, eu tinha falado com ele pelo telefone, sobre esse mesmo assunto, quando disparou: “Quero conversar com o Eurico Miranda, mas não converso mais com o Eduardo Bandeira de Melo. Quero conversar com o Zezé Perrela, mas não converso mais com o Gilvan de Pinho Tavares. Mas de todos esses com quem convivi na formação da Primeira Liga, de quem tenho horror é o Petraglia!
 
Com essas palavras, manifestava a sua indignação pela iminente implosão da Primeira Liga, que teve um duro golpe nessa reunião do presidente Gilvan com o presidente da Federação do Rio, Rubens Lopes, e o secretário da CBF, Walter Feldman.

Marionetes
 
"A CBF e a Globo usaram o Bandeira, o Gilvan, o Petraglia e o Peter Siemsen, que é outro (presidente do Fluminense), para me derrubarem.” Prossegue Kalil, que não quis dar o nome do que seria um quinto presidente de clube envolvido na armação contra ele, porque não tem certeza da participação. Kalil lamenta que a Primeira Liga, que estava pronta, esteja sendo demolida por pura incompetência e interesses alheios ao bem do futebol e dos clubes.


O racha e o fim

Kalil conta que os problemas começaram quando Gilvan de Pinho Tavares aceitou o convite para participar de uma reunião na CBF, sem o aval dos integrantes da Liga, irritando o presidente da Federação Catarinense, Delfim Pádua Peixoto Filho, apoiador da Liga. Mário Celso Petraglia, do Atlético-PR, pediu que fosse realizada eleição para tirar o Gilvan da presidência, gerando a primeira crise, que acabou sendo contornada. Alexande Kalil sempre defendeu que a Liga não tinha que pedir bênçãos à CBF nem à Globo, porque no caso da primeira os clubes têm as leis do país do lado deles, basta saber, e, acima de tudo, querer usá-las.

 

Inocência

Na primeira reunião depois da crise, na sede do Internacional, em Porto Alegre, Gilvan de Pinho Tavares disse que a CBF e a Globo aceitavam tudo e apoiavam a Liga, e que o Kalil estava enganado. “Então eu é que estou louco!”, respondeu Kalil, que estava presente na reunião e falou da situação da Globo naquele momento: nunca vai querer o futebol nas mãos da concorrência e por isso já estava negociando com ele valores honestos. “A primeira pedida da Liga sob minha gestão foi de R$ 100 milhões. É claro que a Globo não tinha interesse que eu continuasse. Saí, e entregaram a competição a ela por R$ 5 milhões.
 

Fora

Realmente Alexandre Kalil era um peixe fora d’água nessa lagoa. Dia desses um diretor do Coritiba, Mauricio Andrade, secretário da Primeira Liga, deu uma entrevista à Rádio Transamérica FM de Curitiba dizendo que conhece o Kalil desde 2002, quando ele era “presidente do Atlético”, e que sabia que seria um erro tê-lo como gestor da Liga, já que ele é “incontrolável” e ninguém o segura.


Bajulador e traíra

O cartola do Coritiba disse também que a Primeira Liga agiu bem em “tirá-lo”, e que ele foi devidamente remunerado para fazer o trabalho dele pela entidade. Kalil respondeu:”Nem me lembro da cara desse sujeito, mas tenho aqui um monte de e-mail dele me bajulando. Quer dizer que me pagaram é? Peça a ele pra informar onde foi depositado porque vou atrás para receber! E assim caminha o nosso futebol!

O que achou deste artigo?
Fechar

CBF tirou Kalil do caminho e acabou com a Primeira Liga
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório

Comentários (2)

Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter