Recuperar Senha
Fechar
Entrar

João Vitor Cirilo

Parabéns, Praia! Agora, o hexa, Sada Cruzeiro

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
PUBLICADO EM 25/04/18 - 03h00

Fantástico voltar a ver Minas Gerais no topo do voleibol nacional também no feminino. A conquista do Dentil/Praia Clube no último fim de semana coroa a consolidação de um projeto que foi preparado exatamente para esse momento e que foi o melhor durante toda a temporada da Superliga. Palmas para a continuidade do trabalho em Uberlândia, por meio de seus patrocinadores e da diretoria do grande clube da cidade.

Resultado fruto também da chegada de uma comissão técnica de respeito, capitaneada por um comandante que eu admiro bastante, Paulo Coco, com quem mantive boa relação nos tempos de cobertura do dia a dia do voleibol aqui em Belo Horizonte, quando ele esteve à frente do Camponesa/Minas. É um trabalhador e entendedor do esporte como poucos. Merecedor.

A qualificação do grupo de atletas também é inegável. A chegada de Fernanda Garay aumentou absurdamente a entrada de rede e elevou o nível de atletas que já sentiram o gosto de grandes conquistas e sabem muito bem como se comportar nesses momentos, como Fabiana e Walewska. Isso pesa.

A se destacar aqui também o vice-campeonato do Sesc, do Rio de Janeiro, finalizando uma temporada de dificuldades vivida pelo elenco. Foram muitos problemas físicos, um corte de investimento pela metade com relação ao ano anterior, e, mesmo assim, as comandadas do fantástico Bernardinho chegaram.

E após o título do Praia, no feminino, a tendência é a manutenção de Minas Gerais no topo na próxima temporada. 

Com a disputa do Mundial pela frente, o Camponesa/Minas dá um salto de qualidade considerável com as iminentes confirmações das contratações das ponteiras Gabi e Natália, referências também na seleção. A estrutura oferecida e a tradição de uma equipe que esteve em todos os campeonatos nacionais pesam nesse sentido. 

Ainda sobre a montagem do elenco, a oposta Bruna Honório, de excelente temporada no Pinheiros, é ótima solução para a saída de Hooker. Além disso, a decisão em oferecer um novo contrato para a capitã Carol Gattaz é outro acerto, não apenas por se tratar de uma liderança, mas também de uma referência técnica. A permanência dela era fundamental em um time que também mantém nomes importantes como a levantadora Macris e a líbero Léia. Tomara que dê liga.

Masculino. Depois de ver nosso Estado no topo do feminino, expectativa total para o mesmo acontecer entre os homens. É evidente que todos os times merecem respeito, mas é inegável o favoritismo do Sada Cruzeiro na decisão contra o Sesi-SP, tendo passado muito bem pelo Sesc-RJ e que conta em sua armação com o levantador mais diferenciado do país, o “Mago” William.

Porém, para mim, o que colocava dúvidas nos últimos anos quanto ao favoritismo absoluto do Cruzeiro, fortalecido por virada fantástica contra o Taubaté, era a imprevisibilidade da final em jogo único. 

Acredito que o formato de dois confrontos valorize a melhor equipe. Se eu tivesse que apostar agora, apostaria em um triunfo do time celeste, vencendo os dois jogos, o primeiro no sábado (28), às 15h, no Ibirapuera.

O que achou deste artigo?
Fechar

Parabéns, Praia! Agora, o hexa, Sada Cruzeiro
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório

Comentários (1)

Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter