Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Marcos Guiotti

Mais do mesmo

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
PUBLICADO EM 16/01/15 - 04h00

Depois de três semanas de férias, estou de volta com esta minha coluna semanal. Espero continuar contando com o prestígio dos leitores deste grande jornal mineiro e brasileiro.

Nosso futebol está no centro das atenções. Em 2014, os times mineiros ganharam duas das quatro divisões do futebol brasileiro e ainda ficaram com a Recopa Sul-Americana e a Copa do Brasil. Fizemos barba, cabelo e um pedacinho do bigode.

Agora em 2015, todos vão ficar de olho no desempenho de Atlético e Cruzeiro. Os dois gigantes começam a temporada modificados. Alguns jogadores importantes se foram, mas outros estão chegando. As mudanças são importantes para acabar com o comodismo e mexer com o grupo. Vejo a dupla mineira igualmente forte para esta temporada. Na falta de bons jogadores disponíveis no mercado, todos os clubes tentaram usar de criatividade e buscar alternativas viáveis.

Tirando o Palmeiras, ninguém está fazendo loucura. Os clubes estão contratando dentro de uma nova realidade. Os times do Rio de Janeiro continuam fracos. Em São Paulo, Corinthians e São Paulo podem surpreender. A dupla do Sul é sempre uma surpresa. Dei esta volta toda para dizer que Cruzeiro e Atlético são os favoritos da temporada. Os dois estão muito bem-estruturados.

Marketing. O Cruzeiro apresenta na noite de hoje, em uma sala de cinema, do Ponteio Lar Shopping, o novo uniforme do time para 2015. Como sempre, o clube procurar inovar a forma de mostrar ao seu torcedor o material que será utilizado pelos jogadores na temporada. Com quase 70 mil sócios-torcedores, o Cruzeiro pretende chegar aos 100 mil em mais dois anos.

Imprevidência. Histórias de jogadores que perdem tudo depois que param de jogar são comuns. Nos Estados Unidos, cerca de 70% dos atletas na NBA e NFL ficam pobres, no máximo, em dois anos de aposentadoria. No Brasil, 90% dos nossos jogadores perdem o que ganharam na carreia. Poucos conseguem viver com o dinheiro ganho nos anos de atividade.

Pena. Chegou ao fim um dos grandes programas esportivos da TV mineira. Por 30 anos, o jornalista Orlando Augusto comandou o Jogada de Classe, um programa leve, descontraído e informativo, que falava de tudo que acontecia no esporte mineiro. Vários jornalistas importantes participaram da bancada do programa, que era um dos mais prestigiados no nosso Estado.

Pelo planeta. Mudanças também estão acontecendo nas grandes redes de TV esportiva do mundo. A ESPN acusou o golpe e está perdendo espaço e vários profissionais para a Fox Sports, que chegou com tudo no mercado brasileiro. A TV Interativa é a bola da vez. Ganhou o direito de transmitir a Liga dos Campeões da Europa no Brasil nos próximos três anos.

O que achou deste artigo?
Fechar

Mais do mesmo
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter