Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Pastor Márcio Valadão

O verdadeiro amor

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
PUBLICADO EM 23/01/18 - 03h00

“Porque todas as coisas existem por amor de vós, para que a graça, multiplicando-se, torne abundantes as ações de graças por meio de muitos, para glória de Deus” (2 Coríntios 4.15).

O texto diz que Deus fez todas as coisas por nos amar. O vento, as flores, os peixes, o ar e tudo mais que existe foi criado por amor a nós. Por amor, Deus nos permite desfrutar todas as maravilhas da natureza que tão detalhadamente criou.

Quando você entende a grandeza desse amor, tudo toma um significado muito especial. Você passa a valorizar todas as coisas e a ser grato a Deus por tudo que tem. E a vida, então, se torna muito mais vívida. Nada que existe, seja material, emocional ou espiritual pode ser desprezado. Quando entendemos que cada coisa que existe neste mundo é a expressão do amor de Deus por nós, nos conscientizamos sobre o cuidado que devemos ter com tudo o que o Pai nos confiou enquanto aqui estivermos.

A consciência de que quer comamos, quer bebamos ou façamos outra coisa qualquer, devemos fazer tudo para a glória de Deus (1 Coríntios 10.31). Isso nos leva a uma responsabilidade que sai dos portões da nossa casa para alcançar o bem comum, o social. A nossa consciência cristã nos impede, por exemplo, de jogar comida fora enquanto milhares morrem de fome; nos impede de acumular roupas que não usamos há anos, porque tantos morrem de frio etc.

Por amor de nós, Deus nos deu o oxigênio para respirarmos sem nenhuma dificuldade, e nem precisamos pagar por ele. Por amor de nós, Deus nos criou com o livre arbítrio para fazermos nossas próprias escolhas, mas por amor de nós também, Ele enviou Jesus para nos livrar de nossas escolhas erradas; Ele nos deu o Espírito Santo para nos consolar e nos guiar no caminho perfeito de Deus e para nos atrair a Ele. Por amor de nós, Deus, nosso Pai, nos disciplina. E ainda que soframos com ela, sabemos que isso é para o nosso bem. “Deus vos trata como filhos; pois que filho há que o pai não corrige? Mas, se estais sem correção, de que todos se têm tornado participantes, logo, sois bastardos e não filhos.

Além disso, tínhamos os nossos pais segundo a carne, que nos corrigiam, e os respeitávamos; não havemos de estar em muito maior submissão ao Pai espiritual e, então, viveremos? Pois eles nos corrigiam por pouco tempo, segundo melhor lhes parecia; Deus, porém, nos disciplina para aproveitamento, a fim de sermos participantes da sua santidade. Toda disciplina, com efeito, no momento não parece ser motivo de alegria, mas de tristeza; ao depois, entretanto, produz fruto pacífico aos que têm sido por ela exercitados, fruto de justiça” (Hebreus 12.7-11).

Por amor de nós, Deus faz com que tudo coopere para o nosso bem (porque amamos o Senhor), porque fomos chamados segundo o seu propósito (Romanos 8.28).

Todas as coisas existem por amor de nós. Amado leitor, guarde no seu coração esta verdade: você é filho de Deus.

Que você possa ser edificado, consolado, exortado, salvo e transformado pelo poder da Palavra viva de Deus. Em nome de Jesus. Amém!

Deus abençoe!

O que achou deste artigo?
Fechar

O verdadeiro amor
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório

comentários (1)

Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter