Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Raquel Faria

Aliança PT-PSDB

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Fonte Normal
PUBLICADO EM Thu Aug 09 03:00:00 BRT 2018

Aliança PT-PSDB

Tanto petistas como tucanos descartavam ontem a candidatura Lacerda ao governo. Eles já se preparam para mais uma polarização PT x PSDB, tão intensa que pode dispensar o segundo turno. Construir a vitória no primeiro turno foi o objetivo do PSDB ao insistir com o DEM para desmontar a campanha de Pacheco, agora um apoiador de Anastasia. E deixar Pimentel como a opção quase única ao tucano foi o intento do PT ao tramar com o PSB a saída de Lacerda. Assim, unidos no mesmo propósito, embora não acertados, petistas e tucanos fecharam o jogo para outros participantes. No momento, embora avancem para mais uma guerra política, ou por isso mesmo, PT e PSDB são perfeitamente aliados no esforço de reservar para ambos a disputa do governo mineiro. Essa briga é deles. E ninguém tasca.

Conforto tucano

Anastasia inicia a campanha em zona de conforto; na sua situação, ele só precisa administrar bem a vantagem enquanto busca ampliá-la para maior segurança. Embora ainda não se saiba muito do marketing tucano, pode-se arriscar que o PSDB vai se concentrar na comparação entre os governos tucano e petista no Estado, tentando delimitar o confronto à arena regional e evitando ao máximo o debate nacional para não se vincular a Michel Temer.

FOTO: Anna Castelo Branco/Rede Fotonovela/divulgação

Luiz Albino, Vanja Honorina e Omar Furtado

Pergar ou largar

Ontem, tanto no PT como no PSB ainda se ouviam comentários sobre um hipotético acordo entre Lacerda e Pimentel. Uma vaga de senador segue à espera do ex-prefeito na chapa governista. E para muita gente no bastidor, a racionalidade política pode levar Lacerda a entender que a sua legenda não lhe deixou outro caminho além do acordo para participar das eleições.

Ponto obrigatório

A Associação Mineira de Advogados Trabalhistas (AMAT) organizará um café da manhã no próximo dia 13, no saguão do Fórum Trabalhista, na rua Mato Grosso. No cardápio, debate sobre a postura da Justiça do Trabalho sobre a reforma trabalhista que, em novembro, completará um ano.

Partida única

Ainda não deu tempo para pesquisar o novo quadro eleitoral, só definido no início da semana. Mas, levantamentos recentes dão pistas de como pode ser a disputa. No DataTempo/Cp2 (MG-03454/2018), a diferença entre Anastasia e Pimentel no primeiro turno é de 6,8 pontos, a favor do tucano; já a soma dos outros candidatos pontuados cai para 5,6% quando retirados da lista os nomes desistentes ou não-candidatos. Ou seja, sem Lacerda e Pacheco, restam no páreo nanicos que somam pouco à votação do segundo colocado para provocar um segundo turno. Com a polarização PT x PSDB são altas as probabilidades de turno único na disputa do governo. E hoje, o vencedor seria o tucano.

Sacando o bônus

Pimentel e equipe já sabem que estão atrás do tucano, em risco de perder de primeira. Mas, apostam na virada eleitoral a partir da propaganda partidária mostrando o apoio de Lula ao governador e ligando o tucano ao governo do ‘golpe’. A partir das pesquisas, o PT avalia que o bônus lulista nas urnas, ou seja, a migração de votos para nomes apoiados pelo ex-presidente, dará a Pimentel os pontos para passar e vencer Anastasia. No primeiro turno, inclusive.

Xeque-mate

No próximo dia 15, a direção interventora no PSB mineiro só poderá registrar uma chapa de candidatos no TRE. Obviamente, irá registrar a chapa que tem seu apoio, fechada pelo deputado Júlio Delgado e prevendo apenas candidatos a deputado federal ou estadual. A chapa B com a candidatura de Lacerda será ignorada no pedido de registro, após ter sido anulada na convenção nacional do partido. Esse é o andar previsível do caso. Difícil o ex-prefeito mudar esse curso. As regras atuais foram feitas exatamente para a cúpula partidária enquadrar os insubordinados.

Sem problema

Para candidatos parlamentares do PSB, o desfecho pode acabar sendo bom. Um postulante a mandato na ALMG, depois de fazer as contas de votos e coeficientes, concluiu que a “chapa do Delgado” ou oficial favorece mais a sua eleição que a outra montada com partidos da coligação lacerdista.

Sacolinha

Apoiadores de elite da reeleição de Pimentel marcam presença em jantar de adesões hoje à noite na churrascaria Raja Grill, na região Centro-Sul de Belo Horizonte. É uma das primeiras ações do PT mineiro para arrecadar fundos de campanha.

O que achou deste artigo?
Fechar

Aliança PT-PSDB
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório

Comentários (88)

Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter