Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Raquel Faria

Forte e excepcional

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Fonte Normal
PUBLICADO EM Mon Jul 09 03:00:00 BRT 2018

Forte e excepcional

Mesmo em recesso e até fora de suas cidades, Moro e membros do TRF-4 e do MPF não levaram mais que poucas horas para desarticular a tentativa de liberação de Lula por meio de habeas corpus obtido junto a magistrado de plantão. A turma estava de férias, mas não dormindo. E agiu rápido. Se a ação seguisse o rito convencional, e esperado pela defesa, o ex-presidente seria solto e permaneceria livre ainda que temporariamente, ou pelo tempo normal para reversão do HC. Os julgadores não quiserem dar sorte ao azar, deixar qualquer brecha para Lula. A reação do Judiciário mostra não existir nenhuma chance real de libertação do presidenciável.

Por um triz

Segundo os dados mais recentes divulgados pelo Ipsos, 46% dos brasileiros são contra a prisão de Lula e 50%, favoráveis; 44% acham que sua prisão foi injusta e 50%, justa; 47% acham que a Lava Jato não tem provas contra ele e 47% acham que sim. Em resumo, o caso Lula divide o país ao meio, com uma vantagem mínima, dentro da margem de erro, para os julgadores. Qualquer mexida na opinião pública pode mudar o quadro. E, dependendo da inclinação do pêndulo, solapar o apoio social à Lava Jato.

Mal a pior

O presidente da Faemg, Roberto Simões, indagado sobre as suas projeções para a agropecuária e a economia brasileira, respondeu com uma expressão cunhada em 1968 por Fernando Reis, um dos formuladores do famoso diagnóstico econômico de Minas que causou furor à época: “A situação é péssima e as perspectivas piores ainda”. Simões fez o comentário na última sexta-feira, durante a festa da Medalha do Mérito Rural, tradicional comenda que este ano teve como principal homenageado Maurício Antônio Lopes, presidente de uma empresa que é um orgulho do setor e do país: Embrapa.

Chega mais

Uma grande recepção ao senador Alvaro Dias no último sábado, em Divinópolis, serviu para aproximar a legenda do presidenciável, Podemos, ao PSB de Marcio Lacerda, um dos presentes. Organizado pelo deputado Jaime Martins, do Pros, cotado para vice de Lacerda, o evento reuniu membros desses três partidos e políticos de umas 50 cidades do Oeste mineiro. Nos discursos, ficou claro que o PSB e o Pros, já acertados entre si, estão buscando atrair o Podemos para o seu palanque em Minas. E o Podemos, por sua vez, mostrou estar acessível, embora sem nada prometer ainda.

Pêndulo da Justiça

A reação forte e excepcional do Judiciário, se de um lado elimina qualquer hipótese de retrocesso na prisão de Lula, por outro deixa os julgadores do ex-presidente, sobretudo Moro, mais expostos à crítica. A neutralidade política de Moro vem sendo questionada desde março de 2016, quando ele liberou gravações de Lula com Dilma e deu um empurrão ao impeachment. A sua atitude ontem, antecipando-se ao MPF e botando o carro à frente dos bois para cercar a manobra lulista, deu argumento tanto aos seus detratores, que o acusam de parcial e perseguidor, quanto aos admiradores, que o elogiam pelas seguidas mostras de rigor contra o presidenciável do PT. Seja como for, o novo imbróglio judicial pode mover o pêndulo da opinião púbica sobre o caso. Resta saber em que direção.

Falem mal, mas...

Falando em Lula, mesmo preso ele se mantém no centro das atenções com a ajuda dos próprios adversários, que não se cansam de falar dele. Quando o ex-presidente não dá notícia, os seus opositores criam algo para lembrá-lo, como ocorreu depois do jogo de eliminação da seleção brasileira, quando piadas associando o vermelho do uniforme belga à bandeira do PT viraram ‘memes’ nas redes sociais. Precisava?

FOTO: Maria Teresa Leal/Rede Fotonovela

Roberto Simões, da Faemg, com o presidente da Embrapa, Maurício Lopes.

Até segunda ordem

Durante o evento político, que começou no almoço e se estendeu até a noite na fazenda de Martins, Lacerda reiterou várias vezes que é “pré-candidato” a governador. Em nenhum momento, comentou a hipótese de ser vice de Ciro Gomes, do PDT. Ninguém questionou tal hipótese, seja porque seria uma indelicadeza com Álvaro Dias, que é rival de Ciro, seja porque todo mundo já sabe a resposta: o destino eleitoral de Lacerda está na mão da PSB; ele segue na disputa do governo, até segunda ordem do partido.

O que achou deste artigo?
Fechar

Forte e excepcional
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório

Comentários (10)

Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter