Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Raquel Faria

Hora da verdade

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Fonte Normal
PUBLICADO EM Thu Jun 07 03:00:00 BRT 2018

Hora da verdade

A próxima semana será reveladora para a economia, brasileira e mundial. A pedra cantada nos mercados financeiros é que o Federal Reserve irá elevar os juros nos EUA em 0,25%, pela segunda vez neste ano. O que não se sabe, e deve ser sinalizado nos dias 12 e 13, é a evolução dos juros americanos no próximo semestre. A alta do dólar ocorrida até aqui prevê ou “precifica” três aumentos em 2018 (o terceiro em setembro). Se o Fed indicar uma quarta elevação em dezembro, o resultado esperado é nova disparada do dólar, com mais depreciação de moedas como o real. Para resumir: a nova reunião do Fed deve definir o tamanho do aperto monetário nos EUA e, por consequência, a extensão dos impactos a serem absorvidos por economias como a nossa.

Conto do mercado

Anteontem, enquanto o real caia 1,78%, o peso mexicano recuava 1,76%. As quedas idênticas realçam as conexões óbvias do que se passa nos dois países. Mas, economistas de mercado insistem em atenuar ou até ignorar a dimensão internacional da crise que afeta emergentes; preferem atribuir a perda de valor das moedas às questões internas de cada nação, jogando toda a responsabilidade para os governos que gastam muito, não fazem reformas e blábláblá. Em geral, a versão mercadista das turbulências cambiais não passa de conto do vigário, lorota para manipular a opinião pública e direcionar decisões no país. De fato, os fatores internos estão influenciando pouco o dólar, cuja grande força de tração está nos atos do seu gestor Fed.

FOTO: Anna Castelo Branco/Rede Fotonovela

Val Allans e Valdirene Paixão

Comparando

A Espanha tem 17 ministérios, sendo 11 ocupados por mulheres e seis por homens. No Brasil são quase 30 pastas e nenhuma ministra além da chefe da AGU, Grace Mendonça, cujo cargo tem status equivalente a ministro.

Marcação

O vereador Fernando Borja (Avante) está na cola do secretário de Cultura de Belo Horizonte, Juca Ferreira. Ele coleta apoio de colegas (15 já assinaram) para um pedido de informações sobre viagem do secretário à Espanha e Portugal no início do mês de maio. O vereador quer uma prestação detalhada de contas.

Marcha do dinheiro

Os aumentos de juros já “precificados” nas cotações atuais do dólar foram suficientes para derrubar em quase 70% as entradas de capitais nos países emergentes neste ano, levando à forte desvalorização de moedas: até aqui o nosso real e o peso mexicano caíram 13%, o peso argentino 25% e a lira turca caíram 17%. Um aperto monetário maior nos EUA tende a intensificar esse processo de migração de dinheiro e flutuações cambiais. Até onde irá o dólar se o Fed indicar mais juros? Essa é uma pergunta de bilhões. O certo é que quanto mais fraco o real mais pobre o brasileiro no mundo.

Aposta no escuro

A volatilidade do câmbio nos últimos dias mostra a tensão crescente nos meios financeiros à medida que se aproxima a hora da verdade. Os riscos da alta dos juros americanos para os emergentes são tais que muita gente duvida de mais arrocho e espera moderação do Fed. Mas, qualquer aposta é chute. O que vem aí é imponderável. E a tormenta, imprevisível.

Dando liga

É crescente o entendimento político entre PDT, PSB e PCdoB. Não passa sem que conversem. A sintonia entre os três partidos já chegou a um nível que torna a união eleitoral entre eles um desfecho natural, até previsível. A chapa presidencial Ciro-Lacerda está ficando cada dia mais viável.

Manifesto bandido

Se os atos incendiários em Minas não visaram dinheiro, o objetivo dos seus autores só pode ter sido marcar posição ou passar um recado – às gangues rivais ou às autoridades ou à sociedade. Seja qual for o motivo, os ataques são uma forma de protesto. Agora até bandido faz manifestação no país.

Motivação

A PBH autorizou a viagem de Juca Ferreira, custeada pelo fisco, para palestrar na Universidade de Coimbra e se reunir com líderes culturais e políticos espanhóis. Mas Borja e seu grupo acham que a intenção real do secretário, que foi ministro de Lula e Dilma, era divulgar o movimento #lulalivre.

O que achou deste artigo?
Fechar

Hora da verdade
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório

comentários (5)

Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter