Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Sabores do Mundo

Gastronomia com muitas referências

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Quintino
Carmem, sorriso no rosto e ojá na cabeça, para receber clientes
PUBLICADO EM 02/12/16 - 16h28
Recife se destaca na cena gastronômica do Nordeste com o maior número de restaurantes estrelados pelo “Guia 4 rodas”, nove no total. A cidade é conhecida como referência na gastronomia de toda a região. E como em todo o Brasil, os chefs locais se destacam por sua inventividade em unir técnicas contemporâneas com recriação de receitas regionais, como as da galinha à cabidela, da carne de bode, do bolo de rolo e do cartola. Um grande destaque é o Cozinhando Escondidinho, renomado como a melhor casa de culinária pernambucana do Brasil. 
 
A cozinha pernambucana está na vertente de toda a cozinha brasileira como um todo, unindo elementos indígenas, africanos e europeus, com destaque nas peixadas e nas moquecas no litoral e nos pratos vigorosos do sertão, como carne de sol, carne de bode, dobradinha, buchada, sarapatel (cozido de miúdos de porco) e chambaril (cozido de carne da canela do boi, servido com pirão). A galinha à cabidela, preparada no próprio sangue, e a feijoada pernambucana, com legumes e feijão-mulatinho, são destaques em todo o Estado e presentes na gastronomia de Recife.
 
Boa viagem e Pina
 
A cena gastronômica se dá, em sua maior parte, no eixo entre Boa Viagem e Pina, nas ruas paralelas à orla e em suas travessas que abundam bares e restaurantes com muito movimento à noite, como na rua dos Navegantes, em Boa Viagem, e na rua Capitão Rebelinho, no Pina.
 
No bairro de Santo Antonio, o Pátio São Pedro, em frente à igreja, é outro polo com vários bares e restaurantes montados em antigas casas coloniais. O evento multicultural Terça-Feira Negra ocupa os bares e restaurantes do local. 
 
 
Doces
 
Símbolos máximos da gastronomia local são o famoso bolo de rolo e o menos conhecido cartola. A disputa pelos melhores de Recife é inglória, são muitas as boas opções, sendo o bolo de rolo um rocambole fino e compacto, recheado de goiabada degustado em fatias finas. 
 
Por sua vez, o cartola é um crepe recheado de banana com queijo-manteiga e finalizado com toque de canela. Outro destaque é o bolo Souza Leão, com massa de mandioca, ovos, leite de coco e calda quente de açúcar. 
 
Imperdível 
 
Astral: Sem placa na porta, Astral, uma casa simples no bairro de Santo Amaro (rua Francisco Jacinto, 368), porém decorada com santos, fitinhas do Senhor do Bonfim e outros apetrechos, é um achado gastronômico em Recife. Carmem Virgínia dos Santos, 40, faz o que chama de “cozinha ancestral”, inspirada nos terreiros de candomblé. Quem for lá, não deve deixar de experimentar o peixe a Irajá, com leite de coco grosso, arroz com queijo coalho e banana, homenagem à mãe; a galinha à cabidela com especiarias, acompanhada de farofa-baião e alecrim, servida na fava com leguminosas e, como sobremesa, samba de coco do bongá, uma cocada mole no papeiro. E, ainda, pode levar para casa jogo de búzios, banho de ervas ancestrais, doces, pimentas e até cachaça local.
 
 

O que achou deste artigo?
Fechar

Sabores do Mundo

Gastronomia com muitas referências
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter