Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Super Fé

A festa judaica e a maior festa cristã

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
PUBLICADO EM 29/03/18 - 03h00

“E esse dia vos será por memória, e celebrá-lo-eis por festa ao Senhor; nas vossas gerações o celebrareis por estatuto perpétuo.” Êxodo 12,14.

No próximo domingo, em todo o mundo, celebra-se a Páscoa, ou Pêssach, em hebraico, que significa “passagem”. É uma data muito importante para os cristãos. Todavia, muitos não compreendem o verdadeiro significado da Páscoa e veem somente a apelação comercial ou uma grande festa, onde se comem muitos ovos de chocolate, que acreditam serem trazidos por lindos coelhinhos. A Páscoa, no entanto, tem um significado muito mais profundo, desde os tempos mais remotos da História.

No Antigo Testamento, a Páscoa tinha a finalidade de celebrar a passagem do Senhor Deus, que libertou o povo de Israel da escravidão do Egito, ou seja, no seu aspecto histórico, a Páscoa é a festa que traz à memória a passagem do Senhor para a libertação. Isso significa que Deus ouviu a oração daquele povo, que vivia oprimido, e se lembrou da aliança com Abraão, Isaque e Jacó, conforme Êxodo 2:23-24.

Deus queria libertar seu povo por meio de Moisés, mas o Faraó o resistia e, por isso, o Senhor enviou pragas. Mas o Faraó não mudou de ideia e continuou resistindo. Foi então que Deus resolveu ferir todos os primogênitos. Mas o Senhor tinha um plano para os israelitas. Eles precisavam sacrificar um cordeiro para cada família e passar seu sangue nos umbrais das portas. Isso seria a garantia de que o anjo da morte não passaria onde houvesse a marca do cordeiro. (Êxodo 12:1-14). Os israelitas precisavam tão somente que obedecê-lo.

Milhares de anos depois, o Senhor precisaria intervir novamente na história humana, porque o homem caíra numa nova escravidão, mais profunda e mais grave, que poderia levá-lo à morte eterna. Dessa vez, era a escravidão do pecado. E, de novo, Deus envia Jesus Cristo, o Cordeiro Santo, que seria sacrificado numa cruz vergonhosa, para que o homem passasse da morte para a vida. Portanto, o sangue que Jesus derramou não foi desperdiçado, não desapareceu, mas foi coletado numa fonte celestial. Assim, se Cristo é o Senhor da nossa vida, os umbrais dos nossos corações foram aspergidos com seu sangue, para perdão dos nossos pecados e para nossa proteção.

O Cordeiro Pascal veio trazer liberdade, para que o ser humano pudesse ser, amar, servir e conhecer a verdade. O propósito do sangue aplicado nos umbrais das portas, era salvar da morte o filho primogênito de cada família, fato que prenuncia o derramamento do sangue de Cristo na cruz, a fim de nos salvar da morte e da ira de Deus contra o pecado. ( Ex.12.13, 23, 27; Hb 9.22).

Jesus veio e cumpriu seu sacrifício pelo perdão dos nossos pecados. Não precisamos mais fazer nenhum sacrifício, nem penitências, porque tudo Ele fez e foi consumado. Jesus é a verdadeira Páscoa e nada, nem ninguém, jamais poderá substituí-lo.

Feliz Páscoa a todos.

LEIA MAIS

Saiba mais sobre esse assunto no livro “As Festas Judaicas e a Maior Festa Cristã”. Pedidos: (31) 3491-2266, vendas@editoragetsemani.com.br ou www.editoragetsemani.com.br.

FÉ PRA VIVER

Acesse o canal Fé Pra Viver no YouTube e confira reflexões bíblicas: youtube.com/FePraViver.

ELI SOARES

As canções que marcaram os últimos 20 anos da música gospel no Brasil, estão no CD “Memórias” do músico, cantor e compositor mineiro Eli Soares. Veja mais em eliasoares.com.br.

O que achou deste artigo?
Fechar

A festa judaica e a maior festa cristã
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter