Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Trigueirinho

Tendo acendido sua lâmpada, é hora de iluminar os demais seres

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
k
PUBLICADO EM 21/01/18 - 03h00

Uma experiência determina uma grande e definitiva mudança na vida: tendo acendido em si a própria lâmpada por meio do serviço altruísta e do alinhamento com os níveis superiores de sua consciência, a pessoa deverá levar essa luz até os demais. Porque é a partir do momento em que essa luz se acende que o homem não tem mais possibilidade de retorno à completa ilusão. Daí em diante, ele será co-criador consciente e não mais poderá voltar atrás em suas intenções interiores. Em vez de prestar tanta atenção a si mesmo, deverá voltar as costas ao que construiu e ir ao encontro dos que caminham nas trevas, dos que não acenderam, ainda, a própria lâmpada.

Algumas características marcam um ser que já alcançou este grau de evolução: o serviço desinteressado é a primeira delas e só pode acontecer quando a consciência não está mais centrada no ego humano, nas suas pseudo-necessidades e expectativas. Neste grau de evolução, o trabalho é ir ao encontro das reais necessidades dos outros. Isso, porém, é realizado sem qualquer sentimento de estar perdendo algo em benefício de terceiros. Não há esforço algum em sua doação.

A segunda característica do ser a serviço do mundo é a capacidade de trabalhar em grupo. Esquecido de si mesmo, diante da tarefa em prol da humanidade, o ser concentra-se no centro da própria consciência, ficando internamente unido a todos os seus semelhantes - formando, na realidade, um grupo interno de almas. Dessa consciência integrada à humanidade como um todo flui uma energia especial, capaz de mover montanhas. A terceira característica é a pureza, que implica estar mais alinhado com os próprios níveis superiores de consciência.

O trabalho de um ser a serviço nem sempre parece importante aos olhos dos demais. Geralmente ele tem o mesmo caráter de simplicidade que tem a tarefa de limpar estábulos, tida por todos como de somenos importância. Qualquer que seja a forma que esse trabalho assuma (lidar com excrementos, promover a higiene de um local, organizar armários), esse serviço não visa ao benefício próprio de quem o executa, mas ao benefício geral. Seja qual for a sua natureza, ou o grau de evolução de quem o realiza, o que conta são a vida e o amor empregados na tarefa. Importa executá-la e, em seguida, retirar-se de cena, pois os resultados não pertencem a quem serve.

Por mais Iniciado que um ser esteja nessas leis básicas que regem o cosmos, ainda há muito trabalho a ser realizado até que a humanidade possa limpar a sujeira milenar decorrente do senso da propriedade, o que não se fará sem grandes esforços. Para dar cabo desta tarefa, será necessário quebrar algumas barreiras, tais como ultrapassar as muralhas do ceticismo, do apego e da incompreensão, executando a tarefa serenamente, obedecendo apenas à própria luz interior. Para isso, basta fechar os olhos e procurar concentrar-se. Oriunda dos níveis elevados de consciência, virá, então, à mente uma ideia clara e definitiva.

Um dia a luz resplandecerá em todos, porque a lei da propriedade não tem vida eterna sobre a Terra e as forças retrógradas que ela representa também são provisórias, uma vez que portam a semente da própria destruição. É eliminando obstáculos que permitiremos o surgimento da obra criativa, possibilitando que algo fecundo se construa.

Para conhecer as obras do autor, acesse o site www.irdin.org.br, onde estão disponíveis mais de 2.000 palestras gravadas, e o site www.comunidadefigueira.org.br

O que achou deste artigo?
Fechar

Tendo acendido sua lâmpada, é hora de iluminar os demais seres
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório

Comentários (2)

Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter