Recuperar Senha
Fechar
Entrar

ESTREIA

O jovial Tom de Takai

Com a bênção de nomes fundamentais da Bossa Nova, Fernanda Takai lança CD dedicado ao gênero em BH

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
fer
Boa companhia. Ao lado dos mestres Roberto Menescal e Marcos Valle, cantora Fernanda Takai apresenta CD dedicado a Tom Jobim
PUBLICADO EM 09/06/18 - 03h00

Era com excitação que Roberto Menescal falava de um projeto que ele e Marcos Valle vinham construindo com a cantora Fernanda Takai em que interpretariam canções de Tom Jobim (1927 – 1994). À época, o compositor e músico viajava o país celebrando, ao lado de convidados, seus 80 anos. E foi assim, como que de uma iluminação, já com nome e tudo, que a ideia do álbum foi germinada. Detalhe: a anunciação ocorreu no meio de um dos shows dessa turnê, em Brasília. De supetão, Menescal interrompeu Fernanda e a convocou publicamente, diante de toda plateia, para encarar a empreitada – pegando até a cantora de surpresa. 

Gestado em nove meses, “O Tom da Takai” foi lançado nas plataformas digitais e lojas físicas e, agora, será apresentado oficialmente no próximo sábado (16), em Belo Horizonte – e, por isso, a excitação volta a tomar conta do trio. A cantora, por sinal, considera o momento como “histórico” para sua trajetória. Não é para menos. É com a bênção de um dos pais da Bossa Nova que ela dedica um CD ao gênero.

“A gente fala em fazer algo junto desde 2007, quando Menescal gravou uma guitarra no meu primeiro disco solo”, lembra Fernanda, se referindo ao álbum “Onde Brilhem os Olhos Seus”, em que canta Nara Leão. Talvez mera coincidência, a participação do instrumentista é justamente em “Insensatez”, composição de Vinicius de Moraes e Tom Jobim. Depois do episódio, eles fizeram mais shows juntos “e essa vontade amadureceu”, comenta ela. 

Este, aliás, não é o único acaso que liga Fernanda Takai, Roberto Menescal e Tom Jobim. Quando anunciou a ideia do projeto, ela interpretava “Estrada do Sol”, música do homenageado em parceria com Dolores Duran. E para dar ainda mais cara de coisa do destino, no CD “Encontro Inédito”, lançado por Menescal no ano passado, o músico octogenário convidou a mineira para dar voz à canção “Depois Só Canções do Jobim”.

Mesmo diante de tantos, digamos, presságios, a apresentação do projeto, já debaixo dos holofotes, foi um susto para a contida Fernanda. “O que eu não esperava era anunciar para todos logo de cara. Geralmente, gosto de começar todo o processo, ter um cronograma mínimo e só depois contar para as pessoas”, diz.

Esse Tom que é tão da Takai, vale dizer, tem estética jovial – e não é à toa: as composições escolhidas pelo grupo fogem do óbvio e remontam as composições de um Antônio Carlos Jobim de 30 anos, quando ainda não dispunha do título de “Maestro Soberano”. 

“Há vários artistas, no Brasil e no mundo, que já gravaram discos dedicados ao Tom”, lembra a cantora. “Nosso desafio era fazer isso de um jeito bem particular. Trazer um toque de novidade através do repertório, arranjos e interpretação”, pontua, evidenciando a razão de um verniz pop nas canções. Por fim, é de um jeito bem mineiro, como quem define uma expressão nossa, os tais “causos”, que ela explica como vê o projeto: “é como uma contação de história: cada um tem seu estilo, sua particularidade, seu tom ao transmitir as palavras”.

Gestação

Apesar de não ser gravado no fundo de casa – literalmente, já que é lá que Fernanda mantém o estúdio 128 Japs com seu marido, John –, a cantora diz que não houve nenhum estranhamento e a gravação fluiu com tranquilidade. “Fizemos a escolha de repertório em meados de janeiro, daí eles partiram para criar os arranjos. No fim de fevereiro entramos em estúdio por duas semanas, gravamos tudo. Ao mesmo tempo andava o projeto gráfico, criado pela Hardy Design, mixagem, fotos...”, narra a intérprete. “Foi muito tranquilo trabalhar com eles e a equipe do estúdio Tambor no Rio de Janeiro. Fazia tempo que eu não gravava um disco inteiro fora do meu próprio estúdio”, conclui ela.

Sendo assim, o trio que são, as agendas não ajudam muito, afinal, cada um deles tem sólida carreira. Então, depois do show em BH, o grupo deve voltar a se encontrar apenas depois da Copa do Mundo. “Vamos marcar shows nas capitais”, garante a cantora, admitindo a dificuldade de encontrar datas comuns. “Mas não há pressa, a gente vai no tempo certo”, completa. 
Além de estar envolvida com o lançamento de “O Tom da Takai”, Fernanda continua a viajar com o Música de Brinquedo 2, do Pato Fu. “Há dez anos eu percorro simultaneamente turnês solo e com a banda, além de viajar bastante divulgando meus livros”.

O Tom da Takai
Show de lançamento com Fernanda Takai, Roberto Menescal e Marcos Valle. Teatro Centro Cultural Minas Tênis Clube (r. da Bahia, 2244, Lourdes). Dia 16 (sábado), 21h. R$ 50 (inteira).

O que achou deste artigo?
Fechar

ESTREIA

O jovial Tom de Takai
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter