Recuperar Senha
Fechar
Entrar

MÚSICA

Entre os clássicos e a novidade 

Titãs apresenta show com repertório clássico e pesado no St. Patrick's Day Festival, evento também conta com tributo a Chorão

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
TITASSS
Com sua nova formação oficial – agora com o guitarrista Beto Lee e o baterista Mario Fabre – os Titãs prometem passar por 36 anos de história em show na capital
PUBLICADO EM 10/03/18 - 03h00
O ritmo dos ensaios e a finalização das gravações do espetáculo “12 Flores Amarelas – A Ópera Rock dos Titãs” têm tomado o tempo e a criatividade dos Titãs. O mais novo projeto do grupo paulista tem pré-estreia marcada para o início de abril no Festival de Teatro de Curitiba e grande estreia em São Paulo antes de partir para turnê nacional – com a certeza de passar por BH, mas ainda sem data prevista. 
 
Mas antes de trazer a obra que pretende marcar uma “reinvenção da linguagem dos Titãs”, o grupo apresenta-se na capital no festival St. Patrick’s Day, no próximo sábado (17). No repertório, clássicos. A noite do evento que celebra o santo irlandês ainda contará com uma homenagem ao cantor Chorão, com Egypcio (Tihuana) e Graveto (ex- Charlie Brown Jr.), e shows de Rodrigo Santos (baixista do Barão Vermelho) e os Lenhadores, e os Inquilinos.
 
“Estamos completando 36 anos de carreira, então queremos apresentar um pouquinho da história dos Titãs. Será uma mistura das clássicas até as mais pesadas”, afirma o vocalista Branco Mello sobre o show na capital, que contará com a nova formação oficial da banda – o trio Branco Melo, Tony Belotto e Sérgio Brito foi acrescido do baterista Mario Fabre e do guitarrista Beto Lee, filho de Rita. Mario já compunha o corpo da banda desde 2010 e agora figura no quadro oficial do grupo. Sobre a dobradinha de guitarras, Beto assegura: “O Titãs sempre foi uma banda com duas guitarras. Tony tem um estilo que mistura blues, rock, ska e punk e eu consigo passear por estas praias numa boa. Nossas guitarras se somam bem ao vivo e no estúdio.”
 
Além dos shows clássicos pelo país e da nova empreitada da ópera rock, o grupo também tem feito elogiada série de apresentações pelo Brasil em teatros, que mostra, além de números com a banda, os três integrantes originais separadamente em versões intimistas de suas composições – seja no violão ou no piano. “A gente montou o show chamado ‘Uma Noite no Teatro’, que passa pelo repertório clássico e ainda conta com umas pinceladas do ‘12 Flores Amarelas’. Nós experimentamos formatos e revezamos instrumentos, é um momento de conversar e trocar mais ideias com o público. Estamos bem felizes com a repercussão”, revela Branco.
 
 
Novos conceitos
 
Mas o que tem realmente gerado expectativa é a ópera rock. Assim como as grandes bandas inglesas The Who – com “Tommy” (1969) – e Pink Floyd – com “The Wall” (1979) –, o grupo brasileiro uniu a linguagem musical e a linguagem dramatúrgica para emplacar seus novos conceitos. “Há algum tempo, nós queríamos fazer um projeto mais complexo, algo que ainda não havia sido feito por alguma banda de rock no Brasil. A gente queria fazer uma ópera com um som nosso, do nosso rock. E chamamos dois parceiros dramaturgos, o Marcelo Rubens Paiva e o ator e diretor Hugo Possolo”, introduz o vocalista. “E começamos a pensar essa ópera para o teatro e fazer um Titãs novo, sem os clássicos, para as pessoas se sentarem, assistirem e ouvirem uma história”, completa Branco. A obra ainda conta com um toque cinematográfico de Otávio Juliano, que dirigiu recentemente o documentário do Sepultura. Nos arranjos operísticos de cordas, ninguém menos do que Jaques Morelenbaum.
 
 
Com 25 composições inéditas, a ópera tematiza um conflito contemporâneo frequente no repertório dos Titãs: a violência generalizada. O enredo fala de um estupro durante uma festa universitária e seus desdobramentos. E convida o público a refletir sobre as dimensões desta violência.
 
(*)Sob supervisão de Marília Mendonça
 
 
Titãs
No St. Patrick’s Day Festival
Hangar 677 (r. Henriqueto Cardinalli, 121, Olhos D’Água). Dia 17 (sábado), às 16h. A partir de R$ 80 (inteira, pista)
 
 

O que achou deste artigo?
Fechar

MÚSICA

Entre os clássicos e a novidade 
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter