Recuperar Senha
Fechar
Entrar

GENTE

Guilherme Melo

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Guilherme Melo
PUBLICADO EM 07/11/08 - 18h07

Na cozinha do restaurante Hermengarda, os ingredientes típicos brasileiros são protagonistas de uma história de sucesso, iniciada em julho do ano passado. Das mãos do chef e um dos proprietários da casa, Guilherme Melo, surgem pratos para mineiro nenhum botar defeito. Aliás, as criações do cardápio com instigantes combinações ganharam fama e reconhecimento. Aos 33 anos, Mello é o primeiro "Chef Revelação" eleito pelos jurados do guia "Veja Belo Horizonte".

Já o restaurante, que funciona em uma casa da década de 40, com direito a um quintal com jabuticabeira, foi escolhido pela mesma premiação como o melhor "Lugar para ir a dois", empatado com o Pacífico Bar Café. Também ganhou o prêmio de restaurante "Novidade do Ano no Brasil", pelo "Guia Quatro Rodas".

A trajetória do chef iniciou na infância, mais precisamente na cozinha da avó materna, que tradicionalmente preparava o almoço de sábado para até 50 pessoas. "Ela sempre teve uma relação forte com a culinária. Eu chegava mais cedo e ajudava no preparo. Era um momento esperado: o dia da casa da avó, para rever a família e amigos. Isso teve um papel importante na escolha da minha profissão."

O gostinho de infância percorreu um longo caminho até virar profissão. Melo, que já havia desistido do curso de administração de empresas, começou a pensar na idéia ao dar uma aula informal de gastronomia para colegas da sua turma de psicologia. Terminou a graduação e não quis saber das salas de consultórios. Fez cursos, incluindo o do Senac, passou a cozinhar com mais freqüência e estagiou com o chef Ivo Faria, no Vecchio Sogno. Não satisfeito, arrumou as malas e foi conhecer as cozinhas de países famosos pela culinária européia.

De volta ao Brasil, continuou a fazer e ministrar cursos até decidir abrir o Hermengarda, nome da avó homenageada, e apostou na culinária contemporânea estilo tupiniquim. "É a minha raiz, além de sabores da minha infância. Apesar da minha formação em contato com outras culturas, como francesa e italiana, eu vi aqui no Brasil ingredientes simples, mas com potencial até maior que nessas cozinhas", afirma Melo, que se diz tocado principalmente pelas castanhas e frutas brasileiras.

mistura

BRUNO FIGUEIREDO

"Com o fouet se mistura, muda-se a textura de produtos, de ingredientes. Uso muito. Sem dúvida, é algo essencial na minha cozinha, principalmente por essa coisa da mistura."


bebida gelada

BRUNO FIGUEIREDO


"Não fico sem uma garrafa de água gelada. Com o tempo quente que a gente vive e o aquecimento global, precisamos nos hidratar e refrescar sempre. Para mim, é fundamental ter uma garrafa por perto. Tem que ser gelada, pois adoro."

outro


BRUNO FIGUEIREDO

"O saca-rolha é uma chave para o mundo do vinho. O mundo apaixonante e interminável do vinho. Com ele se abre a bebida e entra nesse universo. É um item que não pode faltar em uma reunião entre amigos. É uma das minhas bebidas preferidas.


o começo

BRUNO FIGUEIREDO

"Ganhei esses cadernos de receitas das minhas avós depois que elas faleceram. Eu já os namorava quando elas eram vivas. Foi o meu início na cozinha. É uma referência. Talvez seja meu maior bem, que é algo que não tem valor. Neles, há de tudo: doce, salgado, miudezas e pratos fantásticos. São cadernos de uma vida."

O que achou deste artigo?
Fechar

GENTE

Guilherme Melo
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório
Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização
Compartilhar usando o Facebook
ou conecte-se com

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar

Comentar com Facebook Comentar com Twitter