CAFÉ COM POLÍTICA

Aro descarta Fuad e diz que seu grupo deve apoiar Viana ou Engler nas eleições

Secretário de Estado de Casa Civil ainda citou outros três nomes como possibilidades, mas essas candidaturas ainda não estão certas

Por Gabriel Ronan
Publicado em 10 de abril de 2024 | 09:37
 
 
 
normal

O secretário de Estado de Casa Civil Marcelo Aro (PP) afirmou, na manhã desta quarta-feira (10/4), que seu grupo político deve apoiar o deputado estadual Bruno Engler (PL) ou o senador Carlos Viana (Podemos) na eleição para prefeito de Belo Horizonte. Ele também disse que um eventual acordo com o prefeito Fuad Noman (PSD) está praticamente descartado, após os dois caminharem juntos em 2023. A entrevista aconteceu no quadro Café com Política da FM O TEMPO 91,7. 

“As conversas estão sendo feitas. O que vai determinar o apoio do nosso grupo político são as nossas pautas e aquilo que a gente acredita que é o melhor para a cidade. Então, de cara, você já elimina uma grande quantidade de pessoas. Obviamente, nosso grupo político tem dificuldade de caminhar com candidatos ligados à ideologia da esquerda. [...] O nosso campo é de centro-direita, direita. Os candidatos que podem vir a ter o nosso apoio são aqueles que também estão nesse espectro ideológico. Então, restam poucos. Quando você faz por eliminação, você já tem uma noção daqueles poucos que podem ter o apoio do nosso grupo. É com esses que estamos dialogando”, disse.

Na sequência, Marcelo Aro disse que a eleição de BH está entre cinco nomes. Além de Viana, Engler e Fuad, ele citou os deputados federais Rogério Correia (PT-MG) e Duda Salabert (PDT-MG).

“Vamos falar de quem tem chances viáveis. Você tem o Carlos Viana, senador; o Bruno Engler; o Fuad, atual prefeito; a Duda Salabert; e o Rogério Corrêa. Na minha opinião, são os que disputam a eleição. E pode ter uma Luísa Barreto (Novo) com o apoio do governador, que também vira uma potencial candidata. Os demais, com todo respeito, eu não acho que entram nem na discussão. [...] Dentre esses, nos resta o Bruno Engler, que é um candidato de direita, e o Carlos Viana, que também é um candidato de centro-direita. Também é uma opção”, afirmou. 

O secretário ainda citou outros três nomes, mas lembrou que esses políticos ainda não asseguraram suas candidaturas. São eles: o ex-parlamentar da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, João Leite (PSDB); o deputado federal Pedro Aihara (PRD-MG); e o deputado estadual Mauro Tramonte (Republicanos). 

Marcelo Aro é um apoio buscado por candidatos de centro e de direita na eleição de BH, pois controla um grupo de nove vereadores na Câmara. Pesa a favor de Viana o fato de o secretário controlar o Podemos, partido ao qual o senador está filiado atualmente. No PL de Engler, Aro tem proximidade com o grupo ligado ao deputado federal Eros Biondini (PL-MG). 

Já quanto a Fuad, houve distanciamento entre as partes após aliados de Aro serem exonerados da prefeitura por pressões do PSD, partido do atual prefeito. O fim do acordo entre o secretário e Noman tem como pano de fundo as eleições de 2026, que devem ter entre os candidatos o vice-governador Mateus Simões (Novo) e o senador Rodrigo Pacheco (PSD), o que coloca Aro e Fuad em lados opostos. 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!