FICOU FEIO

Durante discurso, Dilma comete gafe e diz que Marcio Lacerda é prefeito de Porto Alegre

Presidente cometeu deslize em discurso durante a formatura dos alunos do Pronatec, em Belo Horizonte

Por Guilherme Reis/Larissa Arantes/Bruna Carmona
Publicado em 27 de agosto de 2013 | 16:55
 
 
normal

As tentativas de reforçar a “mineiridade” não conseguiram desfazer o mal-estar causado pela gafe cometida pela presidente Dilma Rousseff, hoje, em discurso na cidade onde nasceu. Ao cumprimentar os formandos do Programa de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) e presentes na cerimônia, referiu-se ao prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSB), como chefe do Executivo de Porto Alegre (RS).


“Queria cumprimentar o nosso prefeito de Porto Alegre, Marcio Lacerda”, disse ela, causando constrangimento ao socialista. Dilma nasceu na capital mineira, mas fez carreira política na cidade do Sul do país. A presidente já foi criticada por adversários por não ter “criado raízes” em Minas Gerais, mas, sempre que vem ao Estado, tenta recuperar as origens.

Dilma participou, hoje, da formatura de 2.600 alunos do Pronatec na Serraria Souza Pinto, região Central da cidade. Depois da cerimônia, ela seguiu para a inauguração do Circuito Cultural do Banco do Brasil (CCBB) na praça da Liberdade.

A presidente evitou discursos politizados e fez poucas referências ao PSDB, principal partido de oposição ao PT, mas brincou ao cumprimentar os formandos. “Eu queria cumprimentar primeiro os formandos de camisa vermelha e, agora, os de camisa azul”. O vermelho é a cor da bandeira petista e o azul dos tucanos.

Durante o evento, alguns presentes chegaram a ensaiar uma vaia à presidente, mas, rapidamente, ela deu lugar a aplausos. Já Marcio Lacerda não teve a mesma sorte. Quando o socialista foi convidado para subir no palco da cerimônia, várias pessoas o vaiaram.

Indireta. Na inauguração do CCBB, a presidente alfinetou o provável adversário nas eleições do ano que vem, o senador Aécio Neves (PSDB).

“Acho interessante falar em ‘nós mineiros’ – porque a ditadura me tirou de Minas Gerais e aí eu fui acolhida no Rio Grande do Sul. Aqui em Minas Gerais tem algumas pessoas que dizem que não sou mineira. Agora, lá no Rio Grande do Sul, também as pessoas que não gostam de mim dizem que eu não sou gaúcha”, lembrou.

A expressão “nós, mineiros” é muito usado pelo tucano, principal crítico do “afastamento” da presidente em relação a Minas.

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!