Diego Regal, Glayson Lage, Totonho e Lélio Gustavo
Ao vivo
Barba Cabelo e Bigode
Diego Regal, Glayson Lage, Totonho e Lélio Gustavo
Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Cândido Henrique

E o Diego Tardelli, vem para o Galo?

PUBLICADO EM 03/02/19 - 03h00

E o Tardelli, vem para o Galo? Esta é a pergunta que dez em cada dez jornalistas esportivos de Minas Gerais têm que responder todos os dias desde quarta-feira, quando o atacante disse que repensava sua permanência no futebol chinês.

A diretoria atleticana, como se esperava, conversou com o jogador. Busca parceiros financeiros para repatriá-lo. A expectativa era que o anúncio fosse na sexta-feira, dia 1º de fevereiro. Ficou para frente, mas a pergunta continua: e o Tardelli, vem?

Não tenho a resposta, mas outra pergunta eu ouso responder. O Tardelli seria bem-vindo ao Galo? A resposta: claro! Desde 2017, o time alvinegro sofre com a ausência de um jogador que chame a torcida para o estádio. Um atleta que a represente dentro de campo.

Lógico que a presença de Victor e Léo Silva no elenco alvinegro são importantes, mas são defensores. E não é sempre que uma defesa é celebrada na forma de um gol, como aquela contra o Tijuana. O atleticano gosta de go,l e o centroavante sempre teve papel importante no clube.

Desde a saída de Lucas Pratto, preterido para manter Fred no elenco, o Galo não teve um líder lá na frente. Um jogador que encantasse a torcida e a fizesse ir a campo esperando gols.

Adoradores do estilo Galo Doido, os atleticanos sempre gostaram de idolatrar mais jogadores como Reinaldo, Marques, Guilherme e Tardelli do que goleiros ou zagueiros. Tardelli chegaria justamente para suprir esta ausência.

Luan, com o seu jeito aguerrido, tenta ocupar este espaço, mas todos sabem que falta algo a mais no Maluquinho para conquistar este posto. É mais um talismã do que verdadeiramente um ídolo.

Fred, que substituiu Pratto, fez muitos gols, tentou cativar a torcida, mas faltou algo. O mesmo aconteceu com Robinho, que chegou com muita expectativa, mas acabou deixando o Atlético de forma melancólica.

Já Tardelli, não. O atacante sempre saiu do Atlético por cima, deixando saudade, e, principalmente, mantendo a sua relação com a torcida nas redes sociais. Seja por seus posts, seja pelas publicações de sua mãe, dona Ivânia, que leva a torcida à loucura com insinuações da volta de seu filho ao Galo.

Há muito digo: a torcida do Atlético está louca para voltar a cantar mais alto que qualquer uma no estádio, mas ainda falta alguma coisa. Ouso a dizer que falta justamente a chegada de uma jogador como Tardelli para inflamar a Massa.

Onde ele jogaria? Como centroavante, já que está com 33 anos? Ou mais perto do meio-campo, ao lado de Cazares? Tanto importa. A presença de Diego Tardelli no elenco alvinegro seria boa pelo simples fato de aumentar a qualidade técnica do grupo.

Com tantas competições no ano, se apegar a apenas um time titular é a sentença para não ganhar título algum. O Galo sofre com isso desde 2015. Esbarrando sempre em chances claras de conquistas, principalmente do Brasileirão, mas deixando o bonde passar por falta de peças.

Que venha Tardelli! E que ele ajude o Atlético a conquistar os títulos que ainda faltam na galeria dos dois.

comentários (1)

Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar