Renata Abritta
Ao vivo
Giro Super
Renata Abritta
Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Chuteiras e Gravatas

Fox Sports está à venda. Quem vai comprar?

PUBLICADO EM 01/03/19 - 03h00

A Disney, que comprou a Fox no ano passado numa operação de US$ 71 bilhões, não poderá manter o canal esportivo da emissora, Fox Sports, no Brasil. A decisão é do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), anunciada na última quarta. Como a Disney é dona dos canais ESPN, o Cade entende que a manutenção dos dois canais se configura um monopólio de mídia. Assim, o tribunal do conselho determinou a venda dos canais Fox Sports, incluindo ativos, funcionários e os direitos de transmissão, entre eles, o da Copa Libertadores. O prazo para isso, no entanto, é mantido em sigilo, o que tem deixado colegas do segmento apreensivos. Caso a Disney não consiga vender o canal Fox Sports no prazo determinado pelo conselho, o órgão deve rever a operação, que, no fim das contas, pode ser desfeita. O Cade enviou comunicado a nove empresas brasileiras de comunicação que possam se interessar em adquirir o canal. Segundo o portal jurídico Jota, as empresas são Viacom, Rede TV, Record, SBT, Band, Sony, Simba, Turner e Discovery.

Exceção

O Grupo Globo não pode fazer oferta para a compra do Fox Sports pelo mesmo motivo da Disney, já que aglutinaria uma fatia ainda maior do mercado de transmissão esportiva no Brasil. Atualmente, temos três grandes canais de esporte no país: a Globo (SporTV), a ESPN e o próprio Fox Sports. O canal BandSports não é considerado neste segmento, devido à baixa audiência e à pouca relevância em relação aos direitos de transmissões esportivas.

Complexidade

A venda do Fox Sports não é uma operação simples. Por contrato, a ESPN não pode absorver o principal produto do canal, a Copa Libertadores. O Fox Sports é dono dos direitos da competição continental desde 2012 e os repassa para Globo e SporTV. O contrato com a Conmebol foi renovado até 2022. É prematuro dizer qual o futuro da Libertadores se nenhum grupo midiático se interessar em comprar o Fox Sports. As transmissões via Facebook, a princípio, seriam uma alternativa.

Empregos

Segundo o portal Uol, com a venda do Fox Sports, parte da estrutura e dos profissionais podem até ser aproveitados na ESPN, mas o portal jurídico Jota diz que profissionais renomados não poderão ser incorporados à redação. Independentemente da decisão, há um temor de demissões. O Cade também estipulou que a Disney não poderá entrar em concorrência para a compra de direitos de transmissão para, justamente, criar um incentivo ao futuro comprador do Fox Sports.

Votos

O Tribunal do Cade aprovou com restrições, por 4 votos a 2, a compra mundial da Twenty-First Century Fox pela The Walt Disney Company (Brasil), condicionando a venda dos canais Fox Sports. Os conselheiros Polyanna Villanova e Mauricio Bandeira Maia votaram pela fusão sem a venda da Fox. Os conselheiros Paulo Burnier, Paula Farani, João Paulo de Resende e o presidente Alexandre Barreto votaram pela venda, aplicando os chamados “remédios estruturais”.

Divisão

Se a ESPN se fundisse com o Fox Sports, ela teria as seguintes competições: Copa Libertadores, Copa do Brasil, Sul-Americana, Bundesliga (Campeonato Alemão), La Liga (Campeonato Espanhol), Europa League, Premier League (Campeonato Inglês), fora outras ligas especializadas, como NBA e NFL. Já o SporTV teria o Campeonato Brasileiro (Séries A e B), Libertadores, Copa do Brasil, Sul-Americana, além da NBA.

Opinião

Quanto mais concorrentes, melhor a qualidade do produto entregue ao espectador. Além disso, a concorrência pelas transmissões trazem benefícios para clubes e entidades. A decisão da Turner de acabar com os canais Esporte Interativo foi um baque no mercado. A Turner assinou com parte das equipes da Série A, e a transmissão de jogos dessas equipes estão garantidas nos canais do grupo (Space e TNT), contudo, o noticiário esportivo ficou prejudicado.

comentários (1)

Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar