Ao vivo
Madrugada Super
Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Thiago Nogueira

As minúcias da operação de jogo na Libertadores

PUBLICADO EM 08/03/19 - 03h00

O regulamento da Copa Libertadores deste ano tem 108 páginas e uma infinidade de atribuições e exigências para clubes e estádios. Em caso de descumprimento, as equipes são passíveis de multa. Entre os detalhes mais curiosos estão aqueles relacionados à operação em dias de jogo. Para começar, as arenas devem estar localizada em um raio não superior a 150 km do aeroporto mais próximo. Os estádios sem iluminação não foram credenciados. Todos devem ter geradores elétricos. Cada fase tem uma capacidade mínima a ser cumprida. Para as semifinais, por exemplo, é de 30 mil. E não é permitida a instalação de arquibancada temporária para alcançar o número mínimo exigido. O local deverá também contar com um vestiário para a equipe visitante que possua banco para acomodar, no mínimo, 25 jogadores, preferencialmente com armários individuais, além de espaço para acomodar 12 membros da comissão técnica, cinco chuveiros com água quente, dois vasos sanitários, uma maca e um flip-chart ou quadro tático.

Bancos

No banco de reservas poderão permanecer até 20 pessoas, sendo 12 reservas e oito membros da comissão. A presença de um médico é obrigatória. Quem ficar no banco deve usar coletes. Homenagens póstumas, como minutos de silêncio, só podem ocorrer com autorização da Conmebol. A regra só vale para autoridades do clube, jogadores e ex-jogadores. Não é permitida a homenagem a torcedores dos times. Não é permitida a entrada de crianças no gramado.

Gramado

O time da casa precisa providenciar 12 gandulas, e seus nomes completos devem ser entregues ao quarto árbitro. Se um gandula for expulso, o clube leva multa de US$ 10 mil. A grama do campo tem que ter uma altura entre 20 mm e 25 mm, cortada em linhas retas perpendiculares. São duas irrigações previstas, uma, duas horas antes do jogo e outra, 20 minutos antes, dependendo, claro, de condições climáticas. A parada para a hidratação dos jogadores depende do árbitro.

Escalação

No dia do jogo, é realizada uma reunião de coordenação, sempre às 11h. Mais tarde, os clubes devem entregar ao delegado os nomes dos 23 jogadores aptos a atuar com mínimo de 90 minutos de antecedência do início da partida. A relação deve ter, pelo menos, dois goleiros, e ser assinada pelo treinador e pelo capitão do time. Os 11 primeiros da lista começarão a partida. É obrigatório também informar a formação tática para que a equipe de TV gere gráficos.

Uniformes

Os clubes devem obrigatoriamente apresentar, e ter disponibilidade para todas as partidas, camisas de cor clara, uma de cor escura e uma de cor contrastante com as outras opções. Os uniformes precisaram ser aprovados pela Conmebol na reunião de coordenação. Em caso de troca durante o torneio, a Conmebol precisa ser avisada com até cinco dias de antecedência da partida. Em casos extremos, os times podem ter que fazer combinações entre seus uniformes oficiais e reservas.

Números

A numeração no short é obrigatória, e as camisas devem levar nome, sobrenome ou apelido, não devendo passar de 7 cm de altura. Em caso de apelido, ele precisa ser aprovado pela Conmebol. As equipes devem usar também os patchs da competição e os referentes aos títulos conquistados. A exibição de mensagens políticas, religiosas, comerciais, pessoais ou slogans em qualquer idioma ou forma por jogador no uniforme ou mesmo no corpo é proibida.

Entrevistas

Depois do jogo, as emissoras donas dos direitos de TV poderão entrevistar, no máximo, três atletas de cada time, com painel dos patrocinadores de fundo. As coletivas de imprensa precisam ter a presença do técnico e de um atleta, primeiro da equipe visitante e, depois, do time local. O telão do estádio pode exibir a partida que está sendo jogada ali, desde que sem publicidade. É proibido passar replays. O tempo de jogo pode ser mostrado, mas os acréscimos, não.

Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar