Ao vivo
Madrugada Super
Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Thiago Nogueira

Comissão de Ética vai julgar declaração de Itair

PUBLICADO EM 08/02/19 - 03h00

A declaração do vice-presidente de futebol do Cruzeiro, Itair Machado, de que houve lobby no parecer da Câmara Nacional de Resolução e Disputas (CNRD) no caso da multa de R$ 10 milhões do atacante Fred com o Atlético, pode implicar severas punições ao dirigente, caso ele não consiga provar o que disse. Além do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Itair Machado também deverá se explicar sobre o assunto na Comissão de Ética da CBF, que tem sanções maiores do que no tribunal. Enquanto o STJD pode aplicar multa e uma suspensão mais leve, as medidas disciplinares do Código de Ética preveem punições como advertência, multa de até R$ 500 mil, prestação de trabalho comunitário, proibição de participar de qualquer atividade relacionada ao futebol e suspensão de acesso aos estádios por até dez anos ou, até mesmo, o banimento. O STJD apura infrações relativas às competições, de forma geral. Já a Comissão de Ética trata de assuntos de dirigentes relacionados às entidades e suas condutas.

Encaminhamento

Em janeiro, a CBF entrou com uma notícia de infração na Procuradoria do STJD para que Itair Machado prestasse esclarecimentos sobre as declarações. Conforme apurou esta coluna, a Procuradoria do STJD vai remeter o caso para análise da Comissão de Ética. O Chuteiras e Gravatas procurou Itair Machado para ouvi-lo sobre as declarações e se ele achou que foi interpretado em uma conotação equivocada, mas ele não quis se posicionar.

Imbróglio

A polêmica começou em dezembro de 2017, quando Fred acertou com o Cruzeiro depois de rescindir com o Atlético. No distrato, havia uma cláusula que obrigava o atacante a pagar R$ 10 milhões ao Galo se ele fechasse com o rival. Quando da assinatura com Fred, o Cruzeiro garantiu que bancaria o valor, mas o dinheiro nunca caiu nos cofres alvinegros. O Galo, por sua vez, entrou com uma representação na CNRD, que deu ganho de causa ao clube em dezembro do ano passado.

Acusação

O Cruzeiro recorreu da decisão à Câmara Brasileira de Mediação Arbitral (CBMA), que ainda não emitiu parecer. Quando da decisão da CNRD, Itair Machado, em entrevista à rádio Itatiaia, acusou o vice-presidente da Federação Mineira de Futebol (FMF), Castellar Neto, um dos vice-presidentes eleitos da CBF para o próximo mandato e conselheiro atleticano, como influenciador no caso. Itair chegou a falar em lobby também em entrevista à ESPN Brasil.

Retratação

Em ofício ao tribunal, ao qual esta coluna teve acesso, Itair Machado explicou sua declaração, retratando-se da acusação de lobby. “Suas manifestações, embora possam ter sido eventualmente recebidas em sentido pejorativo, representam apenas o constitucional exercício de liberdade de pensamento e manifestação, que não afrontam qualquer disposição legal, tendo sido proferidas em generalidade e impessoalidade, sem qualquer ‘animus diffamandi’, afirmou.

Relação

Nesse mesmo ofício, assinado em conjunto com os advogados do clube, o dirigente do Cruzeiro reafirmou seu bom relacionamento com a CBF. “Que o declarante e esta instituição desportiva possuem profissional e amistosa relação com a CBF e com a CNRD, sobretudo com seus respectivos dirigentes e julgadores, e confia que esta relação é necessária para o engrandecimento do futebol brasileiro”, completou Itair Machado.

Comissão

A Comissão de Ética da CBF é uma instância independente da entidade, conforme estabelecido no novo Código de Ética e Conduta do Futebol Brasileiro. Ele atua na investigação e punição de condutas éticas inadequadas relacionadas ao ambiente do futebol. As denúncias são encaminhadas ao presidente da comissão. Havendo indícios, o assunto é enviado à câmara de investigação para, posteriormente, se encaminhado à câmara de julgamento.

comentários (1)

Enviar Comentário

Li e aceito os termos de utilização

ATENÇÃO

Cadastre-se para poder comentar