Projeto social

Jovem de projeto social do técnico Jorginho concorre a prêmio internacional

Jovem vai representar o Brasil e o Instituto Bola Pra Frente no concurso promovido pelo Laureus Sport For Good em parceria com o IWC Schaffhausen

Por por agências
Publicado em 19 de outubro de 2022 | 14:38
 
 
 
normal

"Eu queria um mundo com mais amor, com mais união." O desejo que parece ser de muitos brasileiros acabou ganhando vida pelo desenho de João Paulo Francisco de Oliveira, de 13 anos, que, em conversa com o Estadão, contou sobre a missão que tem neste ano: representar o Brasil e o Instituto Bola Pra Frente, do técnico vascaíno Jorginho, no concurso promovido pelo Laureus Sport For Good em parceria com o IWC Schaffhausen.

Na premiação deste ano, o tema proposto foi "Tempo do Planeta", pedindo que jovens de todo o mundo desenhassem o que pensam sobre o planeta e o futuro dele. Na visão de João, um garoto da comunidade do complexo do Muquiço, no Rio, união e solidariedade caminham juntas para criar um ambiente mais harmônico.

Além de João Paulo, concorrem ao prêmio a garota Gema, de 12 anos, participante da Fundação Rafa Nadal em Palma, Espanha, e Lea, com nove anos, do HealthNutz, projeto apoiado por Laureus na Cidade do Cabo, África do Sul.

Para representar seus ideais, o tímido jovem carioca escolheu um desenho com uma mensagem direta: pessoas abraçadas ao redor do planeta, sem distinções, preconceitos e ódio. Apenas união. Foi do esporte que João tirou essa lição. "Desde os 9 anos, estou aqui (no Instituto Bola Pra Frente). Gosto muito de jogar futebol e de brincar com meus amigos. Isso que me motivou no desenho", disse ao Estadão.

O garoto se solta mais ao falar sobre futebol e vôlei, seus esportes favoritos, garante que se dedica para jogar bem e que, por meio deles e das lições aprendidas no Instituto, aprendeu "que pode sonhar."

BOLA PRA FRENTE

Com 22 anos de atuação, o Instituto Bola Pra Frente se vale do esporte e da educação como ferramentas transformadoras na vida de jovens de comunidades do Rio, no Complexo do Muquiço. O tetracampeão Jorginho se orgulha da arte de João e acredita que a indicação ao prêmio é uma prova do aprendizado dos jovens que passam pelo projeto, que atende cerca de 300 crianças.

"Nas palavras de Mandela 'A educação é a arma mais importante que você pode usar para mudar o mundo'. O que fazemos no Instituto Bola Pra Frente é utilizar o esporte e a educação como potencializadores para transformar a vida de crianças, adolescentes, jovens e suas famílias e encorajá-los a sonhar. Temos a grande sorte de ter a Laureus como parceira nesta causa. A Laureus nos ensina demais e nos sentimos honrados pois sabemos do legado global que a Laureus tem deixado por onde passa. Ter João como finalista deste concurso de desenho nos mostra o quanto nossos educandos têm aprendido a sonhar e acreditar", disse o treinador. "Como já sugere o nome do concurso (Tempo para o Planeta), espero que a arte do nosso João venha impactar e unir muitas pessoas com o propósito de mudar o mundo para melhor."

A fala do fundador do projeto vai ao encontro do que pensa Vanessa Campos, diretora de operações do projeto, que acredita que o desenho de João expressa um sentimento que vive no coração de muitos brasileiros. "A gente tenta passar essa sensação de unidade, de dar as mãos, de começar a se amar, principalmente no momento em que estamos. Acho que o João, vindo de uma comunidade carente, conversa muito com o brasileiro de saber tudo que ele vive aqui. A gente está numa comunidade de oito favelas, que se chama Complexo do Muquiço, e eles (os jovens) estão completamente expostos a todo tipo de violência. De exposição de tudo que acontece aqui dentro. Existe guerra entre traficantes, entre polícia também, eles passam por muita coisa. Então ter o João, divulgando um desenho que propõe amar e respeitar, dar as mãos, é muito especial. É legal saber que nossas crianças estão se levantando", disse.

Em busca de transformar o futuro destes jovens, o Instituto Bola Pra Frente promove a junção da educação com o esporte, com os participantes assistindo aulas e recebendo treinamento esportivo Para facilitar a assimilação dos conteúdos, a linguagem "boleira" é adotada pelos instrutores.

"Todos os nossos momentos são guiados com a linguagem do futebol Nossas aulas são divididas em etapas intituladas de "aquecimento", "jogo", "mesa-redonda"; escolhemos o capitão da turma, trabalhamos com as regras usando cartões amarelos e vermelhos e conversamos com eles sempre com a linguagem do futebol como ferramenta para facilitar o aprendizado e tornar ainda mais divertido esse processo", explica Vanessa.

O sonho de João por mais união, que agora foi transformado na votação pelo prêmio - que ele admite nunca ter imaginado concorrer -, já está no ar e é válida até 21 de outubro. Para votar no desenho de João, basta acessar o site laureus.com. O vencedor - anunciado em 26 de outubro, em uma reunião especial com um Membro ou Embaixador da Academia Laureus e seu programa Sport for Good - receberá uma doação substancial para ajudar em seu trabalho. (Estadão Conteúdo)

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!