Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Confiante

Tempo de recomeçar: Wesley quer dar a volta por cima e agarrar a titularidade

Contratado em fevereiro, volante tem sido utilizado entre os 11 e espera aproveitar a chance para mostrar que pode ser o homem de confiança do treinador Ricardo Drubscky

wesley américa
Depois de altos e baixos, volante Wesley espera se firmar na equipe titular do treinador Ricardo Drubscky | Foto: Mourão Panda/América
Publicado em 12/07/18 - 16h16
Bruno Mateus
@superfc

Frank Sinatra cantava em "That's life": "Você está no alto em abril, derrubado em maio. Mas eu sei que mudarei essa história quando eu voltar ao topo em junho. É a vida". Os altos e baixos, os desafios e os obstáculos encontrados pelo caminho também aparecem na carreira de muitos jogadores, que parecem transitar entre o céu e o inferno. No caso do volante Wesley, a história recente mostra que ele vive essa dualidade. O jogador, de 31 anos, teve boas atuações com a camisa do Santos, clube que o revelou, Werder Bremen, da Alemanha, Palmeiras e São Paulo.

Tudo começou a mudar quando, em agosto de 2016, Wesley foi agredido por torcedores no CT do clube. Desde então, ele não conseguiu repetir as atuações que um dia o levaram para a seleção brasileira. Após uma rápida passagem pelo Sport, o volante chegou ao Coelho em fevereiro, fez apenas sete jogos e ainda não conseguiu se firmar na equipe titular – embora esteja sendo utilizado entre os 11 pelo técnico Ricardo Drubscky na intertemporada. Com contrato até o fim do ano, o segundo semestre desta temporada será uma espécie de tudo ou nada para o atleta mostrar a que veio. Conquistar uma vaga entre os 11 é o principal objetivo.

"Tive de fazer uma pré-temporada sozinho, o que não é fácil. O pessoal aqui me castigou bastante, no bom sentido, para que hoje eu me sinta bem. Todo jogador quer ter uma disputa para poder entrar no começo e agarrar uma posição para não sair mais. Esse é meu objetivo também, mas sempre respeitando e colocando em prática a aplicação tática para termos um final de ano feliz e alegre vendo que o fruto do trabalho deu certo", afirma o jogador.

O treinador Ricardo Drubscky, que assumiu o time durante a parada da Copa do Mundo, vem testando diferentes formações, inclusive uma variação com três volantes. Wesley não esconde sua preferência por esse esquemas, mas salienta que, independentemente do estilo de jogo, ele está pronto para ajudar a equipe: "Foi a formação (com três volantes) que mais tive sucesso, chegando à seleção brasileira. Tenho que mostrar isso de novo para que eu possa ajudar meus companheiros. Todos confiam em mim, sabem do meu potencial técnico. Agora, é colocar o coração na ponta da chuteira para que tenhamos êxito".

Clássico. O América ocupa a 13º colocação com 14 pontos, apenas dois a mais que o primeiro time fora da zona de rebaixamento. Na próxima quinta-feira (19), o time enfrenta o Cruzeiro, às 19h30, no Mineirão. A partida seá, segundo Wesley, um importante teste para a equipe. "É um clássico. Isso é bom para sabermos o quanto podemos subir na tabela e almejar mais coisas. Sabemos da qualidade (do adversário), respeitamos, mas vamos colocar nosso jogo em prática, porque aqui também queremos fazer um Campeonato Brasileiro excelente. Penso que, a partir do momento em que entramos em campo, todo o resto fica lá fora e os detalhes é que irão definir a partida. Espero que possamos estar atentos a esses detalhes para que tudo dê certo para o nosso lado", comenta o volante.

Compartilhar:
Enviar por e-mail
Imprimir
avatar
Li e aceito os termos de utilização
Cadastre-se para poder comentar
Fechar

Confiante

Tempo de recomeçar: Wesley quer dar a volta por cima e agarrar a titularidade
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório