Recuperar Senha
Fechar
Entrar

Aprendizado

Reforços buscados pelo Cruzeiro não renderam, mas seguem com prestígio

Principais apostas da diretoria e do técnico Mano Menezes, David, Marcelo Hermes e Bruno Silva tiveram temporada fraca

Mano Menezes
Foto: Vinnícius Silva/Cruzeiro
Publicado em 09/11/18 - 11h00
Fernando Martins y miguel
@Supernoticiafm

O Cruzeiro pode se orgulhar de terminar a temporada com dois títulos no ano, fato que nenhum clube da elite conseguirá em 2018.

Mas se o período foi de bons frutos colhidos pela Raposa, como a redenção do zagueiro Dedé e a supervalorização do meia Arrascaeta, por outro lado o time celeste amarga decepções no ano com contratações cercadas de expectativas.

A Raposa manteve quase todo o elenco do ano passado e ainda trouxe reforços de peso, e alguns deles não vingaram como o argentino Mancuello, o atacante David, o lateral Marcelo Hermes e o volante Bruno Silva.

Mancuello chegou ao Brasil com status de maestro, vindo do Independiente-ARG para o Flamengo. Teve dificuldades de adaptação ao futebol brasileiro e se transferiu para o Cruzeiro.

Porém, o jogador não aproveitou as oportunidades enquanto atuou na equipe alternativa, já que para o seu setor o time estava bem servido com Thiago Neves, Robinho e Arrascaeta.

Já Bruno Silva, destaque do Botafogo no ano passado, foi comprado por R$ 5 milhões. Ele chegou a marcar gols em algumas oportunidades, mas tem a irregularidade como principal característica. O pensamento da direção era de que Bruno Silva fosse titular pelo lado direito no meio-campo celeste, mas Robinho manteve o nível da última temporada e não deu chances ao colega.

A lista dos reforços que não vingaram no Cruzeiro ainda tem o atacante David, que fez um bom Campeonato Brasileiro pelo Vitória, no ano passado. O jogador foi prejudicado por lesões sérias, porém, não conseguiu desempenhar um bom futebol quando teve chance.

O desempenho do lateral Marcelo Hermes não chega a preocupar, pois foi contratado para ser reserva de Egídio, uma das contratações certeiras do clube. Assim como o lateral Edílson e o atacante Barcos, importantes nas conquistas do Mineiro e da Copa do Brasil.

Na visão do volante e capitão do Cruzeiro, Henrique, trata-se de momento.

“Às vezes adaptar é difícil, acostumar com um esquema de jogo também. Mas eu acho que é momento, futebol se vive, nós vivemos de momento. Às vezes o momento não é tão bom, às vezes ele é favorável, mas são jogadores que se vieram para o Cruzeiro, eles vieram por causa da sua competência, foi por causa do seu trabalho, foi porque mostraram a qualidade para estar aqui. Todos os jogadores que estão aqui, é porque tem qualidade”, concluiu. 

Compartilhar:
Enviar por e-mail
Imprimir
avatar
Li e aceito os termos de utilização
Cadastre-se para poder comentar
Fechar

Aprendizado

Reforços buscados pelo Cruzeiro não renderam, mas seguem com prestígio
Caracteres restantes: 300
* Estes campos são de preenchimento obrigatório