Bruno Voloch
27/02/21
10h12

7 horas no ginásio

CBV e a prática da tortura na Superliga

Inaceitável inabilidade da atual gestão

Bruno Voloch
27/02/21 - 10h12

O vôlei com conhecimento e independência jornalística.

Inaceitáveis os episódios registrados em Barueri.

Iniciar um jogo quase 11 da noite é desumano.

Desrespeitoso.

A falta de organização, marca registrada dos ‘jênios’ que dirigem a CBV, Confederação Brasileira de Vôlei, continua expondo a Superliga ao ridículo.

Se fossem apenas eles envolvidos, tudo bem, até porque não existe qualquer preocupação com a reputação, abaixo da crítica, pisoteados pela mídia e pelos jogadores.

A questão é que atletas, comissões técnicas, árbitros ficaram presos dentro de um ginásio fazendo hora, contando com a sorte e torcendo contra a chuva.

O ginásio de Barueri, é bom que se diga, não é o único.

 

Problemas semelhantes já foram registrados em Osasco, no Rio, expert no tema, Campinas, e outros tantos que nos fazem perder a conta.

Já nos acostumamos.

É óbvio que os ginásios pelo Brasil afora não são inspecionados como deveriam pelos funcionários dos ‘jênios’. Fico imaginando como devem ser os laudos técnicos. Se é que existem.

Não duvido que a CBV, nas divertidas e cômicas notas oficiais, alegue que a responsabilidade não é da entidade.

Normal, mas mesmo que não seja, quem organiza o evento?

Situações como essas registradas são recorrentes. Toda temporada é a mesma coisa. Não muda. Não muda porque tem a cara da CBV.

A defesa dirá que o regulamento prevê até 4 horas de espera.

E o respeito com os profissionais envolvidos no jogo? Como fica?

Não existe bom senso. Os jogadores continuam pagando a conta e a imagem do vôlei brasileiro sendo motivo de chacota no exterior.

O mais indicado, qualquer leigo chegaria a essa conclusão, seria o adiamento da partida, ainda mais envolvendo dos times do mesmo estado. Só que aí entra a questão do calendário e a falta de datas.

Balela.

Desculpa para empurrar debaixo do tapete a inabilidade dos ‘jênios’.

Reflexo da falta de planejamento, de uma administração fadada ao fracasso, que visa interesses próprios e deixa os verdadeiros artistas em segundo plano.

Artistas que passaram quase 7 horas dentro de uma quadra. Desde a chegada no José Correa até uma da madrugada.

 

---

Em tempos de desinformação e pandemia, o jornal O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo mineiro, profissional e de qualidade. Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Continue nos apoiando. Assine O TEMPO.

Blog do Voloch

Blog do Voloch

Carioca, formado em jornalismo, 32 anos de atuação na área em diferentes veículos de comunicação como televisão, rádio, jornal e internet.

Escreva um comentário
Comentar

Ver todos
Fechar
Log View
Vem ser Premium!
Seja Premium
Salve matérias
Você poderá salvar as matérias para ler quando e onde quiser.
Matérias Premium
Veja as matérias exclusiva para usuários premium.
Notificações
Receba notificações de novas matérias do seu time do coração.
Av. Babita Camargos, 1645 - Contagem Minas Gerais - CEP: 32210-180
+55 (31) 2101-3000